Auxiliar de Confúcio suprimiu da carta de Fernando da Gata página que compromete o Governo

2013-10-17T18:57:35+00:0017 outubro, 2013|

Na carta, preso acusa presidente da Assembleia, Ministério Público e Sesdec, mas Governo deixou vazar na imprensa apenas os trechos contra MP e Hermínio.

dagata[dropcap]A[/dropcap] polêmica carta escrita pelo preso Fernando Braga Serrão, o Fernando da Gata, contendo ameaças contra o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Hermínio Coelho (PSD), e sugerindo que o parlamentar teria algum tipo de influência sobre o Ministério Público Estadual e o procurador geral de Justiça, Hérverton Aguiar, foi distribuída à imprensa por Fred Perillo, um homem ligado diretamente ao governador Confúcio Moura (PMDB).

Mas o jornalista  Fred Perillo tomou o cuidado de divulgar apenas o que interessa diretamente a Confúcio, ou seja, os trechos que, supostamente, podem comprometer ou embaraçar Hermínio, Hérverton e o MP.

Perillo suprimiu uma das cinco páginas da carta manuscrita por Da Gata, preso no Pandinha acusado de associação para o tráfico, estelionato com cartões bancários e outros crimes. Ao desembarcar em Rondônia vindo de Natal (RN), onde foi preso, Da Gata havia dito que o chefe da quadrilha da qual ele seria o líder era, na verdade, o governador Confúcio Moura (PMDB).

Nesta quarta-feira, setores da imprensa divulgaram quatro das cinco páginas de uma carta escrita por ele no Pandinha, onde está preso.

E a página suprimida diz que os membros da Secretaria de Segurança Pública do Estado procuraram Fernando no presídio para tentar forçá-lo a produzir  provas contra Hermínio e outros deputados, ao mesmo tempo em que afirma que o MP também buscou produzir provas contra o Governo e defender o presidente da Assembleia.

“Percebi, de forma muito clara, estar em meio a uma guerra política e institucional”, diz Fernando da Gata, que se comparou a “um boi de piranha”.

Segundo o trecho da carta que o Governo não quis fazer chegar à imprensa, Da Gata diz que também foi ouvido pela Polícia Federal. “Só a PF buscava ou está buscando provas contra ambos os lados, ao contrário da Sesdec e do MP que cada um está defendendo um lado como ficou claro no meu entendimento (sic). Tanto é verdade o que afirmo que me isolar (sic) para evitar que eu pudesse delatar  e provar contra qualquer um dos lados tudo o que eu viesse a dizer (sic)”.
Nesta quinta-feira o MP recebeu documentos que mostram que Fred Perillo foi quem deu publicidade à carta de Da Gata junto a setores da imprensa.

O auxiliar de Confúcio não cometeu nenhum crime ao divulgar a carta à imprensa, mas acirrou ainda mais a crise entre o Governo, a Assembleia e o Ministério Público.Na noite desta quinta-feira a reportagem tentou ouvir Fred Perillo, mas não conseguiu localizá-lo pelo telefone.

O MP já investiga delegados que participaram da Operação Apocalipse e que são acusados de tentar, de qualquer jeito, obter depoimentos falsos para tentar incriminar, a qualquer custo, o presidente da Assembleia e deputados estaduais, ligando-os à suposta organização criminosa que teria sido desbaratada no dia 4 de julho deste ano pela Polícia Civil.

O TUDORONDONIA apurou que, como desdobramento da Apocalipse, de uma série de troca de denúncias e acusações entre o MP, Assembleia, Governo e Secretaria de Segurança Pública, deverá ocorrer uma grande operação da Polícia Federal no Estado de Rondônia que promete não deixar pedra sobre pedra.

[tabs]
[tab title=”Leia mais:”]Fernando da Gata escreve carta e denuncia que Operação Apocalipse visou prender Hermínio Coelho

Carta de Fernando Da Gata: Para advogado é mais uma tentativa política de atingir o Ministério Público[/tab]
[/tabs]

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Da reportagem do Tudorondonia[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br