Como a desigualdade no pagamento entre homens e mulheres é prejudicial à economia brasileira