Rose, mãe dos três filhos do apresentador, assinou o documento sem expressar nenhuma revolta, mas depois se armou para a guerra

IMÓVEL – A mansão de Orlando, onde morreu Gugu: avaliada em 6,7 milhões de reais //Divulgação

Uma hora e meia após o sepultamento de Gugu Liberato, em 29 de novembro, os familiares se reuniram para ler o testamento. Esse ritual burocrático costuma acontecer após a missa de sétimo dia. Feito em 2011, o documento distribuiu a herança da seguinte forma: 75% para os filhos (João Augusto, 18 anos, e as gêmeas Sofia e Marina, de 16) e 25% para os cinco sobrinhos. O documento assegura a Maria do Céu, de 90 anos, mãe do apresentador, uma espécie de pensão vitalícia de 163 000 reais. A parte mais surpreendente do testamento coube à ausência de qualquer menção a Rose Miriam di Matteo, a mãe dos três filhos da estrela da TV. Gugu, que a apresentava como “minha família”, não deixou em seu nome uma mísera quitinete. Como se não bastasse, registrou no testamento Aparecida Liberato como a responsável pelo espólio e curadora de seus filhos menores de idade. Ou seja, de acordo com a vontade de Gugu, Rose não tem autonomia sequer para cuidar das próprias filhas.

Rose assinou o documento sem expressar nenhuma revolta, mas depois se armou para a guerra. Ela contratou o advogado Nelson Wilians, dono do maior escritório de advocacia da América Latina, para entrar com uma ação de reconhecimento de união estável. Seu objetivo é anular o testamento para ficar com 62,5% de toda a fortuna. “Não posso aceitar um acordo em que não tenho dinheiro nem para fazer mercado”, afirma. Ela alega que estava exausta e sob efeito de remédios quando assinou o testamento. “Eu não dormia fazia dias e não tinha a dimensão do que isso representaria”, justifica-se. Jura também que, em caso de vitória, vai deixar o dinheiro para os três filhos. “Fiz um testamento para deixar expresso o desejo de doar tudo a eles”, garante. Para a família de Gugu, Rose e o apresentador eram apenas amigos que decidiram ter filhos. Daí a ausência e a não contemplação dela na herança.

– Reprodução/Instagram

1 – Alexandre, sobrinho: 5% da herança
2 – Rodrigo, sobrinho: 5% da herança
3 – Alice, sobrinha: 5% da herança
4 – Sofia, filha: 25% da herança
5 – João Augusto, filho: 25% da herança
6 – Marina, filha: 25% da herança
7 – Amanda, sobrinha: 5% da herança
8 – André, sobrinho: 5% da herança
9 – Aparecida, irmã e curadora do espólio
10 – Amândio, irmão
11 – Maria do Céu, mãe: tem direito a pensão de 163 000 reais
12 – Rose Miriam, mãe dos três filhos. Luta para ser reconhecida como esposa

Veja.com