Rose Miriam divulgou uma carta neste domingo (2) em que diz que ‘Gugu foi um querido e zeloso pai e marido, e companheiro dela na criação dos filhos’.

Mãe de Gugu sobre relação do filho com Rose Miriam: 'Nunca tiveram nada um com o outro'
Mãe de Gugu sobre relação do filho com Rose Miriam: ‘Nunca tiveram nada um com o outro’

Uma disputa pela herança bilionária do apresentador Gugu Liberato. De um lado, os filhos e sobrinhos, pra quem ele deixou tudo no testamento. Do outro, a mãe dos filhos do Gugu, Rose Miriam, que não ficou com nada. Ela começou uma batalha judicial para comprovar a união estável e reivindicar parte da herança.

Sem a ajuda da muleta, ela decidiu que estava bem pra caminhar pela casa, decorada com a história de mãe e filho. Nas paredes, no pomar… Aos 90 anos, Dona Maria do Céu, tem se esforçado pra conviver com a falta que o filho faz.

Ana Carolina Raimundi: “Pra todo mundo era Gugu. Mas pra senhora era?”
Dona Maria do Céu: “Toninho”.
Ana Carolina Raimundi: “Toninho! Desde pequenininho?”
Dona Maria do Céu: “Desde pequenininho”.
Ana Carolina Raimundi: “O apelido Gugu veio…”
Dona Maria do Céu: “Veio lá no SBT”.

A memória é boa e ela lembra de detalhes das histórias do filho. Diz que nunca esquece de quando quase perdeu Gugu quando ele tinha um mês e meio de vida: “Ele teve pneumonia dupla, aí foi internado. Ele quase morreu. O médico falou pra mim que ele não ia passar daquele dia. E aí… Aconteceu um milagre que ele viveu de novo”.

E eles aproveitaram muito juntos. Até na última viagem de Gugu para os Estados Unidos, antes do acidente, ele pediu a companhia da mãe: “Ele queria que eu fosse com ele, mas como eu estava com gripe, eu não quis ir. Mas ele queria que eu fosse”, conta Maria do Céu.

“Vocês viajavam o mundo junto, né?”, questiona e repórter Ana Carolina Raimundi. “Já fui para 35 países. Sempre com ele, sempre”, diz Dona Maria.

Gugu morreu dia 21 de novembro, depois de sofrer um acidente e bater a cabeça, na casa dele, em Orlando, na Flórida. A morte do apresentador causou uma comoção nacional.

Além de apresentador, Gugu era um empresário de sucesso. Tinha várias empresas, investimentos, imóveis… Estima-se que o patrimônio dele pode chegar a R$ 1 bilhão. Gugu deixou um testamento, que foi lido horas depois do enterro. Segundo o documento, Gugu deixa: 75% do patrimônio para os três filhos – João Augusto, de 18 anos, e as gêmeas Sofia e Marina, de 16 – e, os outros 25%, ele distribuiu entre os cinco sobrinhos.

A irmã de Gugu, Aparecida Liberato foi nomeada inventariante e curadora especial das filhas menores de idade de Gugu. A mãe dos filhos de Gugu, Rose Mirian di Matteo, não aparece no testamento. “Ouviu o testamento junto com as filhas, com o João, seu filho, com toda a família e concordou com os termos. Pediu harmonia da família. Fez até um discurso bonito para todos. A leitura do testamento, se não me engano, aconteceu por volta de 16h de sexta feira. A notícia que nós tivemos depois é que, 20h ou 21h, ela estava na casa de outro advogado, levada pelo seu irmão, para contestar esse testamento”, conta o advogado da família Liberato Carlos Regina.

Naquela noite, Rose Miriam foi na casa do advogado Nelson Wilians, acompanhada de seu irmão Gianfrancesco Di Matteo, do sobrinho Eduardo Di Matteo e seu filho mais velho com Gugu, João Augusto. Segundo a família Liberato, João Augusto não sabia que estava sendo levado para casa de um advogado e entrou com uma queixa-crime contra o tio, Gianfrancesco, e contra o primo Eduardo. “Foi muito noticiado essa semana que o João teria feito um boletim de ocorrência contra a própria mãe”, questiona a repórter Ana Carolina Raimundi. “Não existe boletim de ocorrência do João contra a mãe”, afirma o advogado da família Liberato Dilermando Cigagna Júnior.

Rose Miriam entrou na Justiça para provar que tinha uma união estável com Gugu, que eles eram um casal e que, portanto, também teria direito ao patrimônio. “Ela está pleiteando metade de todos os bens?”, pergunta a repórter. “Metade de todos os bens”, afirma o advogado de Rose Mirim Nelson Wilians.

A outra metade é que seria dividida entre os herdeiros. “A mãe está entrando com uma ação para diminuir a herança dos filhos?”, pergunta a repórter. “Isso pode ser entendido dessa forma e, para um técnico, isso é dessa forma”, diz o advogado Carlos Regina. “Isso diminuiria o percentual dos sobrinhos?”, questiona Ana Carolina Raimundi. “Dos sobrinhos sim, dos filhos, em hipótese alguma, porque Rose não apenas fez um documento em cartório em que tudo que ela ganhar imediatamente será transferido para seus filhos”, responde o advogado de Rose Miriam.

Os advogados da família de Gugu alegam que Rose não tem esse direito, porque os dois nunca foram um casal. “Qual era a relação de Gugu e Rose?”, pergunta a repórter. “Ela era mãe dos filhos dele. Essa é a relação que nós sabemos. Eles não se apresentavam como um casal”, diz um dos advogados da família Liberato.

“Não era uma união estável?”, questiona a repórter a outro advogado da família. “A meu ver e pelos documentos que eu tenho, não há menor condição de ser união estável”, diz o advogado Dilermando Cigagna Júnior. “Eles não moravam na mesma casa?”, pergunta Ana Carolina Raimundi. “Não”, responde outro advogado da família.

“Ele nunca teve nada com ela e eles viviam… Ela completamente separada dele. Completamente. Nunca tiveram nada um com o outro. Isso eu afirmo e juro que é porque eu sei”, diz a mãe de Gugu.

“Ou seja, durante toda a vida de Gugu Liberato, Rose foi a esposa, a mulher, a companheira, a mãe de seus filhos. E, somente após a abertura do testamento, é que nós começamos a ouvir essa história de amiga. Isso é de uma desumanidade total com a pessoa do caráter da Rose”, defende o advogado de Rose Miriam.

Os advogados da família Liberato dizem que vão apresentar na Justiça um documento, assinado por Rose e Gugu em 2011 que, segundo eles, deixa claro a natureza da relação dos dois. “Eles fizeram um contrato, que depois nós vamos exibir em juízo. Eram amigos. Realmente eram amigos. Podiam ter até o afeto, mas eram amigos e não tinham vida em comum. Um acerto que fica muito claro. Um ajuste entre eles, que o Gugu queria ter filhos e eles acabaram: ‘então vamos ter filhos sem uma convivência, sem uma comunhão de vida’, vamos chamar assim”, diz Dilermando, advogado da família.

“Rose me disse que, em 2011, enquanto ela estava internada, apareceram alguns advogados no hospital e colheram a assinatura dela. Ela fala que não sabe o que assinou, não tem a menor ideia do que assinou. Ainda que ela tivesse assinado algo, eu não tive conhecimento desse documento. Se houver esse documento, eu vou questionar a nulidade dele. Porque não se pega um documento de alguém dentro de um hospital, tomando soro, medicado, com quadro de depressão”, contra argumenta o advogado dela.

Além da herança para filhos e sobrinhos, ficou determinado que a mãe de Gugu receba uma mesada de cerca de R$ 160 mil. Rose Miriam também pediu na Justiça uma mesada parecida. “Hoje ela vive de empréstimo. Ela empresta dos amigos, porque ela não tem nada. Gugu Liberato sempre foi o provedor de tudo”, afirma o advogado de Rose Miriam.

“Ela obteve uma decisão, em primeira instância, sobre uma pensão de 100 mil reais, que ainda não está no prazo de pagamento. Mas se a decisão for mantida, o pagamento será feito pelo espólio”, afirma um dos advogados da família Liberato.

Questionada se, como mãe dos filhos, Gugu dava uma ajuda pra Rose Miriam, Dona Maria do Céu fala: “Muito! Tudo que ela pedia, ele dava. Não era só pra ele, era para a família inteira”.

Ana Carolina Raimundi: “Ela tem bens? Ele deu bens a ela? Ela teria como sobreviver?”
Carlos Regina, um dos advogados da família Liberato: “O que se sabe é que ele, em vida, a beneficiou com alguns bens”.
Ana Carolina Raimundi: Ela tem uma casa, tem imóveis?
Advogado: “Tem, tem”.

“Ela tem uma bela de uma casa aqui em Alphaville. Quando ela vinha pra cá, ela tinha o dinheiro que ela queria para fazer o que ela queria”, afirma a mãe de Gugu.

A defesa de Rose diz que ela teria passado um imóvel de São Paulo para o nome dos filhos. Eles continuam vivendo na casa da família nos Estados Unidos. “Na mesma casa, com o irmão da Rose, que se aboletou lá tão logo o Gugu faleceu. Enterraram o Gugu e, no dia seguinte, este cidadão mudou-se para a casa de Rose e foi dormir no quarto do Gugu. Isto gerou no João e nas meninas um incômodo muito grande, pra não dizer uma revolta”, conta o advogado Dilermando Cigagna Júnior.

“No início, ele se disse como uma pessoa que iria ajudar e ficar alguns dias. Esses dias passaram a ser semanas e agora já estamos em meses”, diz o advogado Carlos Regina.

O filho de Gugu acionou um advogado americano para garantir que o tio fosse embora. “A notificação é de 15 dias. Este senhor tomou posse indevida, a começar pelo quarto do falecido. Se isto chama-se expulsão, vai ser expulso”, diz o advogado Dilermando.

“O Gian está lá a convite. Ele não está lá de ‘entrão’, não está lá sem ser convidado. E está lá na casa de sua irmã, convidado por sua irmã. Isso é importante”, declara o advogado da família Di Matteo.

A família de Gugu diz que todas as contas da casa de Rose e dos três filhos estão sendo pagas normalmente.

Neste domingo (2), Rose Miriam divulgou uma carta na qual diz que ela e Gugu desejavam construir uma família e se incluíram na vida um do outro. Conta que foram muito felizes durante todos esses anos, principalmente nos últimos anos em que viveram nos Estados Unidos. Que apesar da distância, ‘a nossa casa aqui se tornou um lar sólido’. Diz ainda que Gugu foi um querido e zeloso pai e marido, e companheiro dela na criação dos filhos.

“Eu rezo para que tudo volte ao normal. Seria muito melhor, não gastava com os advogados dela, não gastava com os nossos, não é?”, diz a mãe de Gugu.

Fantástico