imageO prefeito de Vilhena, Zé Rover, se reuniu na semana passada com veterinários do município e a Vigilância Sanitária para discutir a implantação do Centro de Zoonoses. O Centro vai atuar em conjunto com uma Organização Não Governamental (ONG), que está sendo criada para auxiliar no tratamento de animais domésticos abandonados e encaminhá-los para a adoção.

Rover assinou a ordem de licitação para a empresa que vai prestar serviços para o Centro de Zoonoses. Participaram da reunião: representantes das clínicas veterinárias, a diretora da Vigilância Sanitária Elza Magalhães, o representante da Secretaria Municipal de Obras, e o representante da ONG em criação.

A primeira atitude adotada pelo município, antes mesmo da implantação do Centro de Zoonoses, será quanto aos animais encontrados mortos. A Prefeitura estuda a possibilidade de incluir o serviço de incineração no contrato com a incineradora de resíduos contaminados.

Hoje, o município enfrenta dificuldade no controle de animais de grande, médio e pequeno porte, que quando abandonados nas ruas podem causar acidentes. “Temos essa dificuldade em manter o controle desses animais e quando chega até nós a denúncia, buscamos capturar esses animais, mas temos outro problema, que é a destinação desses animais”, explicou a diretora da Vigilância.

Com a implantação do Centro de Zoonoses, os animais serão tratados, castrados, vacinados e encaminhados para adoção. O projeto inicial é baseado no Centro de São Paulo, que é hoje referência no país. Além disso, o Zoonoses vai manter também o controle de pragas e será responsável por campanhas de vacinação.

Rover explicou que a construção do Centro deve demandar cerca de R$ 2 milhões de investimento, por isso inicialmente o município vai atuar com o apoio das clínicas e da ONG. “Temos hoje uma população de mais de 40 mil cães e gatos na cidade e muitos desses, ou vivem pelas ruas, ou não são bem cuidados pelos donos e precisam de uma atenção maior por parte do poder público, até para evitar problemas para os munícipes”, enfatizou.

O prefeito também destacou que com a implementação do centro de zoonoses, algumas novas leis deverão ser aprovadas em Vilhena, entre elas, uma multa em casos de maus-tratos a animais. A lei também deverá determinar o uso de focinheira para cães de raças agressivas que forem transitar no passeio público, além da padronização de identificação dos animais nas ruas.

Semcom