A Malagueta: o Zé não gosta mesmo do movimento cultural vilhenense!

2013-12-20T10:07:06+00:0020 dezembro, 2013|

MalaguetaO Zé não gosta da cultura

Essa é a conclusão em que chegamos ao fazermos uma análise do orçamento municipal previsto para 2014. Lembramos que nosso prefeito chegou até a cogitar em 2012 um orçamento para a Fundação Cultural de Vilhena entre um e um e meio por cento para 2013, naquele momento o orçamento para 2013 era de cento e quarenta e seis milhões de reais. A “turma” do prefeito convenceu a ele que um ou um e meio por cento era muito para os artistas e produtores culturais da cidade, logo ele aprovou 0.4% para a Fundação, deu um pouco mais de oitocentos mil reais. O novo orçamento subiu de 146 milhões em 2013 para quase 200 milhões em 2014, o Zé que não gosta da cultura, muito menos dos produtores culturais da cidade, reduziu o repasse da fundação de 800 mil para 600 mil, mesmo tendo o aumento que teve no orçamento. É claro que eles vão justificar a diminuição de receita com um daqueles argumentos fajutos, ditos para bois dormirem. Será que as pessoas que promovem e alimentam a cultura no município vão acreditar?

Ainda sobre a Fundação Cultural

É de se estranhar que ninguém tenha se movimentado dentro da Fundação Cultural no sentido de defender um orçamento maior. Em 2013 as ações da Fundação foram uma lástima, todos que atuam no ramo sabem que quase nada de grandioso e inteligente foi produzido, nenhum edital para concorrer a projetos foi escrito, nenhum projeto foi encaminhado para o governo do Estado, enfim já comentamos esse triste quadro aqui neste mesmo espaço. O interessante é a completa ausência da Fundação na discussão e acompanhamento do orçamento municipal para a cultura. Nem o conselho deliberativo que é composto por “grandes estrelas da cultura vilhenense” se manifestaram! Que militância! Resultado, teremos mais um ano sem brilho, sem inteligência, sem projetos, sem eventos que dignifiquem os nossos produtores culturais. A Fundação Cultural que um dia foi um sonho para todo o movimento artístico da cidade, virou um cabide de empregos para pessoas “ilustres” da cultura vilhenense. De sonho a pesadelo em menos de um ano!

E o Anízio Ruas

Do alto do seu polpudo “salário gratificado” não se incomodou, deixou a carruagem andar e que os cães fiquem latindo! Fez-se de “gato morto”, não está nem aí com a coisa, é mais ou menos assim, “preciso garantir o meu”, depois a gente dá um jeito. Sei não, mas a coisa deve pegar para o ano. Este é um setor importante, estratégico, mais que fundamental para o desenvolvimento da cidade e seus valores culturais e humanos. Projetos sociais e culturais que envolvam a sociedade mais carente e periférica, nada. Os produtores culturais vão se afastando e a Fundação não consegue somar, avançar, tornar-se referência, enfim, como disse Djavan, em uma das suas belas melodias: “Pobre povo sem socorro”!

O vice não gostou

O vice-prefeito ficou, no mínimo, desapontado com seu chefe, parece que azedou a relação, o prefeito listou os candidatos do “seu gosto” para o ano que vem e deixou claro que seu vice pode até ser candidato, porém sem seu apoio! O homem que tanto serviu ao projeto de eleição e reeleição agora não serve mais, que busque outra moita! Fica muito claro o quadro eleitoral do ano que vem. Como diz o povo, “Deus me livre” com aliados assim, quem precisa de inimigos?

O movimento evangélico de Vilhena gosta muito de política

Também gostam da militância religiosa, mais em todas as eleições atuam num trabalho de convencimento junto aos seus fiéis para que apoiem este ou aquele candidato. Existe um movimento muito forte no seio da comunidade evangélica que se opõe a tal atuação, segundo esses, os líderes religiosos, deveriam ficar exclusivamente com suas vocações bíblicas e não políticas, segundo estes, tal lobby só prejudica o movimento protestante na cidade. A argumentação mais propalada é a de que, pedem apoio e votos aos fiéis e depois de eleitos, se envolvem em escândalos constrangendo os fiéis que na boa intenção seguiram os “conselhos políticos dos seus pastores”, outra coisa muito feia, que muitos fiéis não sabem, é que boa parte desses pastores e demais lideres religiosos são “comissionados ou portariados da prefeitura”, ou seja, ganham dinheiro para convencer o fiel a votar neste ao naquele candidato. Jesus Cristo, com certeza não aprova tal conduta!

Menino Donadon dá um “Cala boca Magda!

Essa foi boa, um jornalista que foi beneficiado com cargo comissionado nas gestões do mais conhecido clã do cone sul se voltou contra seus antigos aliados. Não deu outra, levou um “cala boca” daqueles. O mais interessante na história, é que o tal cala boca Magda! Não foi dado por nenhum dos patriarcas ou matriarcas e sim por um membro bem jovem da família, na verdade um adolescente! Para o jornalista e aquelas pessoas que sentam no rabo… Vale o ditado: Se não pode com o pote, não segura na rodilha!

Vilhena em momentos de horror

Foi em uma escola a “Marechal Rondon”, um grupo de nove adolescentes entraram numa briga feia, com a polícia militar na área, um resultado chocante veio à tona, os jovens estavam de posse de três facas “grandes”, tipo “furou matou” e mais um punhal. A tragédia só foi evitada em função da intervenção da PM. Triste história, que ainda poderia ser pior, marca o fim de ano escolar em nossa cidade. É importante que as “autoridades” promovam um grande fórum para se discutir a violência escolar em Vilhena!

Olhem essa, mais uma da nossa “laboriosa justiça”

Divulgamos com muito pesar na última coluna o trágico e absurdo assassinato de uma das maiores figuras culturais do nosso Estado o querido Zezinho Maranhão, ele foi vítima de sua sobrinha a garota de programa “Lorrana” que o esfaqueou enquanto dormia em sua residência. Um crime bárbaro, hediondo, com crueldade e frieza. O pedido de prisão provisória foi feito com a seguinte argumentação: Trata-se de agente que praticou delito de homicídio, em circunstância- supostamente – injustificável e por motivo irrelevante… Os requisitos da conversão do flagrante em preventiva encontram-se presentes”, afirmou, citando ainda os policiais militares Jazafar Rodrigues da Silva e Rodrigo Rafael dos Santos, que atenderam a ocorrência do assassinato. “Ademais há elementos que atestam que a conduzida representa um fator que afeta negativamente a tranquilidade social, como o próprio modus operandi do agente no momento da prática delitiva, cumprindo destacar que o requisito ordem pública não tem seu conceito adstrito unicamente a impedir a reiteração da pratica criminosa, abrangendo inclusive o efetivo resguardo da credibilidade do poder judiciário em face da gravidade dos delitos e sua repercussão no meio social”. Tudo bem entendido! Infelizmente não. O judiciário entendeu o contrário e permitiu que a menina respondesse em liberdade, no argumento, foi afirmado: “Não aparenta oferecer qualquer risco a instrução criminal, a ordem pública e tampouco a aplicação da lei penal”. Vai entender esses homens!

4 comentarios

  1. hudson 20 dezembro, 2013 at 10:47 pm

    E pior… quer ver que novamente mais 120.000,00 vai para o CTG, para fazer festa… pois não há comprovação alguma de nenhum benefício público deste recurso que vira em costelão… MP cadê vocês, vereadores que irresponsabilidade é esta…? Doidedera né… e mais empresários laranjas, com empresas de alimentícias que só atende à Prefeitura, na mídia podre posando de bons moços na doação de cestas… é cada uma, que mais cedo “Zé”, ou um pouco mais tarde vai custar caro.

  2. Julia 22 dezembro, 2013 at 7:42 am

    essa historia de FUNDAÇÃO CULTURAL é uma piada. Um cabide de empego. emprego para esposa de advogado que é do conselho deliberativo, essas coisas de politico. um monte de gente pra fazer noite da seresta que é 0800 e não custa nada para fundação o resto é uma incompetencia desavergonhada e quem recebe verba e pouca é o irmão do motorista do prefeito. é muito triste ver isso. silencio geral, agora ta todo mundo mamando.

  3. Sandoval 22 dezembro, 2013 at 11:14 am

    Temos que mudar as cabeças… onde já se viu 1.700.000 para a SEMEC, como em 2013… para onde foi toda esta grana MP, Tribunal de Contas, Vereadores… É tanta gente ordinária, inescrupulosas, desavergonhada, que da nojo…

  4. Jose Medeiros 3 janeiro, 2014 at 11:27 am

    O SENHOR ROVER E A PRIMEIRA DAMA FIZERAM FAMILIAS CARENTES DAS NOSSAS PERIFERIAS AGUARDAREM MAIS DE QUATRO HORAS PARA RECEBEREM CESTAS NATALINAS. MINHA FUNCIONARIA CONTOU QUE RECEBEU DEPOIS DAS ONZE HORAS DA NOITE. O MP DEVIA IMPEDIR OS ATOS QUE LESAM A BOA VONTADE DO POVO CARENTE. SE FOSSE ELES TERIA MEDO DE ARDER NO FOGO DOS INFERNOS. AJA MENTIRA E HIPOCRISIA.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br