Alerta da ACIV leva estelionatários para cadeia em Vilhena

2013-07-09T22:29:21+00:0009 julho, 2013|

O núcleo de inteligência da Polícia Militar prendeu na noite da quinta-feira, 04, dois homens suspeitos de integrar uma quadrilha de estelionatários que vinha aplicando golpes em Vilhena. Na mesma semana a ACIV (Associação Comercial e Industrial de Vilhena) havia comunicado os seus associados que cheques fraudados do Banco do Brasil estavam sendo emitidos na cidade. Ao tomar conhecimento do caso através da ACIV o comerciante Edvan Martins Guerreiro acionou a polícia que após realizar buscas prendeu Anderson Ferreira de Araújo e Wagner Angello.

Segundo Edvan, ele teria sido procurado por Anderson para trocar um cheque no valor de R$ 4.000,00, em nome de um correntista da cidade de Santa Luzia do Oeste. Ao lembrar do comunicado da ACIV o comerciante fez uma consulta na entidade onde obteve a confirmação de que o cheque era fraudado.

Anderson Araújo alegou que havia recebido o cheque de Wagner Angello pelo pagamento de um serviço de tapeçaria feito por ele na caminhonete de Wagner. Segundo Anderson ele recebeu o cheque no valor de R$ 4.000,00 para pagar a dívida que era de R$ 900,00 e que ficou de pagar a diferença em serviços. De acordo com Anderson, de posse do cheque ele foi até Edvan para ajudá-lo a trocar por dinheiro.

Já Wagner Angello apresentou versão diferente da de Anderson. Ele disse à polícia que repassou o cheque em branco para Anderson e que este ficou de repassar R$ 100,00 para um tal de Fernando de quem Wagner disse ter “comprado” o cheque em branco. Tanto Wagner quanto Anderson não souberam dar mais detalhes sobre Fernando.

Wagener e Anderson receberam voz de prisão e foram encaminhados para a delegacia de Polícia Civil. A polícia não sabe ainda se os dois tiveram participação em outros golpes aplicados com cheques do mesmo correntista na cidade.

ALERTA

Segundo a diretoria da ACIV, apesar do comunicado emitido pela associação é preciso que os comerciantes estejam mais atentos a este tipo de situação para não cair em golpes. O presidente da entidade, José Ivanildo lembra que além de consultar os bancos de dados é preciso também desconfiar de situações atípicas. “Teve o dono de um mercado de pequeno porte que vendeu mais de R$ 1.700,00 para um dos golpistas que nunca havia comprado em seu estabelecimento. Dá pra desconfiar, principalmente se a pessoa vai pagar com cheque uma compra de valor tão alto. Afinal quem compra R$ 1.700,00 em um mercado de bairro?”, exemplifica Ivanildo.

CHEQUE[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]

José Antonio Sant’Ana
Jornalista profissional

[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.