Juiz de Direito deu puxão de orelha: “Lugar de preso condenado é no C.R.C.S. (presídio)”.

O Rondônia em Pauta teve acesso a um documento enviado no dia 7 de janeiro de 2016 que mostra a tentativa do Diretor Geral Interino do Centro de Ressocialização Cone Sul, Fabiano Vieira Rodrigues, de impedir que os ex-secretários da gestão Rover, Gustavo Valmórbida e José Luiz Serafim sejam transferidos da Casa de Detenção para o presídio C.R.C.S. – Centro de Ressocialização Cone Sul.

1O diretor tenta interferir na decisão da Justiça alegando que os presidiários estariam articulando um corretivo nos dois ex-secretários gritando palavras de ordem como: “Manda eles pra cá, vamos ensinar eles a tratar bem a nossa família”. Além disso, ele argumenta que o presídio está muito acima da capacidade e não dispõe de um local separado da carceragem para mantê-los até que a situação fique calma.

Em resposta, o Juiz de Direito Adriano Lima Toldo responde enfaticamente com um puxão de orelhas: “Nesta comarca, lugar de preso condenado é no C.R.C.S. e a Direção desta unidade deve atentar para cumprir sua obrigação sem olhar a quem, garantindo a integridade física dos internos. Aliás, como é feito com outros internos “ameaçados”.

2A afronta à Justiça e o favoritismo inédito do diretor gerou desconfiança dos próprios agentes penitenciários e põe em xeque a idoneidade do diretor no cumprimento do seu dever no cargo. Será que há algum arranjo “político” por trás de tudo isso?

Há também informações de que os ex-secretários, já dentro do presídio, não foram conduzidos para uma ala em que é realizada a triagem dos apenados comuns, senão que eles teriam sido levados para a cela dos laborais, onde ficam aqueles que que precisam ter um histórico de 6 meses de bom comportamento. Ao ser questionado pelos agentes penitenciários, o diretor teria respondido que não é dever de nenhum agente questionar os procedimentos “legais” da direção.

A pergunta que fica no ar é: “Por que tantas regalias?” Por que os secretários condenados recebem suas rescisões trabalhistas antes de qualquer cidadão comum que leva mais de dois anos sem ver a cor do dinheiro? Qual foi o interesse do diretor em ajudar os ex-secretários de Rover.

Neste momento o ex-secretário José Luiz Serafim responde o processo em liberdade, enquanto Gustavo Valmórbida continua preso.

Da redação do Rondônia em Pauta