Novo prazo termina em fevereiro

Assembleia Geral aconteceu na manhã desta segunda-feira (9), após uma semana de greve, servidores municipais de Vilhena voltam às atividades normais e garantem que se novas reivindicações não forem atendidas até fevereiro, a greve voltará com mais força.

Com pouco mais de 1900 servidores filiados, o Sindsul luta pela implantação imediata do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCC´S).

Leia mais: Prefeito vai implantar o PCCS: reunião positiva cria comissão mista da PMV com o Sindsul e Câmara para apresentar acordo final nos próximos dias

A greve, iniciada no dia 2, teve manifestação em frente ao Hospital Regional, Paço Municipal e passeata no Centro de Vilhena.

A Assembleia Geral do Sindsul aconteceu após reunião dos representantes do Sindsul com o prefeito Eduardo Japonês, nesta manhã. Onde foi decidida a criação de uma comissão mista formada por representantes da Prefeitura, Câmara e do Sindsul (Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia) começará imediatamente as análises financeiras para definição dos termos finais do acordo. A previsão dos envolvidos é que o projeto esteja pronto dentro de um a dois meses e seja aprovado antes de fevereiro.

A comissão será composta por 10 membros: três do sindicato, seis da Prefeitura e um da Câmara de Vereadores. Os vereadores realizarão a leitura, discussão e votação do acordo final até início de abril de 2020, prazo máximo previsto por lei para conceder aumentos a servidores, devido a que se trata de ano eleitoral.

Da redação do Rondônia em Pauta