As mulheres vilhenenses agradecem

Pessoas injustas e inimigas do poder público ficam criticando a prefeitura de Vilhena em função de uma suposta ausência de políticas sociais em favor das mulheres vilhenenses . Injustiça! Inveja! Ciúmes! Assim devemos classificar tais críticas. Este ano, várias ações foram realizadas. Que movimento fantástico e profundamente humano o tal “outubro rosa”, que título meigo, fofo, lindo, só uma maldade muito grande no coração para criticar algo assim! Pudemos ler em um determinado site que a primeira dama visitou por alguns meses uma senhora e conseguiu alfabetiza-la, que amor, que dedicação, que mimo! Agora as outras mais de mil analfabetas existentes nessa cidade possuem muita esperança de receberem a visita de alguém com tão puro sentimento humanitário. Coisa de anjo! Que exemplo de educadora! O bairro Cristo Rei é exemplo de políticas que atendem as mulheres, sem buracos nas ruas, calçadas que lembram paisagens europeias com seus canteiros repletos de flores. Posto de saúde com material e equipamentos de primeiro mundo. Todas as mulheres quando adentram o hospital regional são atendidas com esmero, carinho e profundo amor. Tanto amor que os atendentes da instituição de saúde parecem ser conduzidos por turbilhões de cupidos embebedados pelo amor de Dionísio e Afrodite. Tamanho amor dispensado as mulheres doentes, pobres e sofridas que buscam atendimento só é possível com essa qualidade aqui na cidade clima e por causa de uma sistemática pressão dos atuais gestores. A mamografia que ainda não temos, entendam, é um equipamento raro e muito caro, produzido em poucas quantidades por empresa do estrangeiro, não exijam tanto! Nossos gestores sabem que uma coisa dessas que vai mexer com os seios das nossas mulheres precisa passar por rigorosa análise, todo cuidado é pouco, acreditamos que em três anos essa análise minuciosa seja realizada, afinal, os seios das nossas mulheres precisam ser tratados com muita seriedade carinho e amor.

Se palavra de político tiver valor?

Parece que agora é pra valer, Lizangela Rover anunciou não ser candidata em 2014, essa posição mexe e muito com o quadro eleitoral no próximo ano. Todos sabem que mesmo que não fosse eleita, faria um grande estrago em algumas candidaturas tradicionais. Alguns estão aliviados!

Valter “Tocaia Grande” sem algemas

O desembargador Eurico Montenegro, deferiu o pedido de liminar, concedendo direito ao ex-deputado foragido Valter Araújo, vulgo “Valter Tocaia Grande”, de não utilizar algemas ao se deslocar do presídio onde cumpre pena para o fórum da Comarca de Porto Velho em função das várias audiências no qual será ouvido. O caso chama atenção em virtude dos “ladrões de galinha”, “prostitutas” e criminosos tipo “pé de chinelo”, serem algemados. No entanto, um criminoso, que ficou foragido por mais de dois anos, que agora também começa a responder por assassinato, que vive esnobando, tripudiando, enganando, menosprezando, enxovalhando, fazendo muito pouco caso e dessa forma, ridicularizando a justiça, seus magistrados e todo arcabouço jurídico que pretende a ordem do Estado de direito, não merecia tal tratamento. O meliante já comprovou seu mais absoluto desrespeito a ordem e a justiça pátria. Tal concessão por parte do judiciário demonstra o quanto nossa justiça e seus membros são pequeninos chegando às raias da mediocridade. É por essas e outras que a ampla maioria da população ojeriza e sente asco de tal poder.

Olha essa

O acadêmico do curso de letras, escritor e professor de violão, Nilson Antônio Ferreira da Cruz, lançou em meados deste ano o romance “Depois de Ontem… Um Novo Amanhã”. O escritor solicitou apoio da Fundação Cultural de Vilhena, em resposta, foi orientado a procurar o coordenador do Ponto de Cultura Cone Sul Plural. Outro escritor, agora o servidor do Ministério Publico do Estado, Wilson da Costa, também procurou a referida instituição cultural em busca de apoio, para lançamento do seu livro “Poesias em Chamas”. A resposta foi à mesma: Procure o Ponto de Cultura. O caso vem se repetindo. Vários produtores culturais recebem como resposta essa mesma afirmativa. Nesta semana o professor Vanks, conhecido pelo seu prestigiado Preparatório Para Concursos, Vestibulares e Escola, procurou a Fundação em busca de apoio para uma noite cultural que será realizada no dia 09/11 nas dependências da AVEC. Imaginem a resposta: Procure o Ponto de Cultura. O professor Vanks procurou o Ponto de Cultura Cone Sul Plural, e a exemplo dos demais produtores que receberam a mesma orientação foi atendido em seu pedido. Até ai, nenhuma novidade. O problema caro leitor é que o Ponto de Cultura a quem os produtores vilhenenses tanto recorrem e são atendidos é coordenado pelo professor Cledemar Jeferson, aquele que nosso prefeito, contrariando sua palavra e todo o movimento cultural da cidade, não indicou para a referida Fundação Cultural? Não que o professor Jeferson se incomode por ser acionado, muito pelo contrário, pois a luta em prol da cultura é um alimento e combustível em sua vida. A questão é: Se não servia para a Fundação, qual o motivo de ser tão acionado por ela? Difícil entender a “tiurma” do Zé?

Professores e militantes da cultura visitam Vila Bela no Mato Grosso

Por falar no professor Cledemar Jeferson. Sua instituição cultural, em parceria com a SEDUC, Bueno Tur e os participantes que arcarão com parte dos custos, estará visitando a cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade neste feriado do dia 15 de novembro. A atividade de três dias, naquela que foi a primeira capital do Mato Grosso, visa estudos e pesquisas sobre a cultura de Rondônia. O trabalho será acompanhado pelo professor e historiador Emmanoel Gomes. Segundo o professor Jeferson: “O evento é mais um momento para fortalecer nossa vocação em prol de um movimento interessado em conhecer nossa história, geografia e no fazer cultural independente”. Já o professor Emmanoel afirma que o grupo composto por quarenta e quatro pessoas, poderá compor a rede de cultura construída pela instituição que no último ano, reuniu empresários e pessoas físicas, interessadas em colaborar com as manifestações culturais do cone sul e estado de Rondônia.

Cada vez pior

Um estudo do IPEA, Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicada, revelou que mais de 100 mil homicídios deixaram de ser contabilizados nos últimos cinco anos no Brasil. Em nota ao “Fantástico” da “Rede Bobo”, o Ministério da Saúde informou que vai melhorar o sistema de coleta e análise destes dados. Brincadeira, maquiagem de números desta natureza ajudam a eleger e promover figurões do mundo político. O Rio de Janeiro lidera o número de casos não contabilizados.