De julho para cá geração de empregos cresceu 62% em relação aos 18 meses anteriores

Dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) revelam que Vilhena tem a economia mais pujante do Estado já há vários meses. O relatório expedido neste mês demonstra que no primeiro trimestre de 2019 a cidade gerou mais empregos do que qualquer outra no Estado.

De acordo com o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Marcondes Cerrutti, o relatório demonstra o potencial econômico de Vilhena como polo regional. “A cidade tem demonstrado ótimo desenvolvimento, especialmente nos setores de transportes, agronegócio, industrialização e no comércio em geral. A secretaria está em contato diário com diretores de grandes corporações a fim de incentivar e facilitar a instalação dos complexos industriais deles no município”, revela Marcondes.

OS NÚMEROS – Extraídos do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do MTE, os dados mostram que Vilhena, apenas nos três primeiros meses de 2019, gerou um saldo positivo de 295 novos empregos. É o melhor desempenho de todo o Estado no período, com destaques negativos para Porto Velho, Ji-Paraná e Ariquemes, que obtiveram decréscimo de 1.091, 205 e 86 empregos, respectivamente, no primeiro trimestre.

Vilhena voa baixo na geração de empregos: os 295 novos postos de trabalho são quase 60% mais do que a cidade que ficou com a segunda colocação, Pimenta Bueno, com 186 novos empregos gerados no período.

O Ministério do Trabalho revela também o acumulado dos últimos 12 meses, onde a diferença de Vilhena para o restante de Rondônia fica ainda mais evidente. De março de 2018 a março de 2019 a cidade gerou 836 novos postos de trabalho. Esse número, assim como o do 1° trimestre, já desconta as demissões.

LÍDER REGIONAL – Esse bom resultado nos últimos 12 meses é 33% maior do que a segunda colocada no ranking, Rolim de Moura, com 630, e até 8 vezes maior do que outras grandes cidades do Estado: Porto Velho (-1.337), Ji-Paraná (117), Ariquemes (51) e Cacoal (145).

Voltando ainda mais no tempo, caso a comparação seja feita entre os últimos 10 meses de nova gestão na Prefeitura e os 18 meses anteriores (de janeiro de 2017 a junho de 2018), o crescimento de novos postos de trabalho é 61,9%, já que na nova administração foram gerados 63,5 novos empregos por mês, em média, enquanto no período anterior apenas 39,3, segundo o Ministério do Trabalho.

Semcom