Aluna ferida em explosão em laboratório da UFRJ pode responder por lesão corporal culposa

2018-08-16T16:18:40+00:0016 agosto, 2018|Categories: Ciência|

Polícia Civil, no entanto, ainda vai colher depoimentos para verificar se houve imprudência ou imperícia. Caso pode mudar de acordo com depoimentos, diz delegado.

A explosão com ácido nítrico que deixou três feridos no laboratório de Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi registrada na 37ª DP (Ilha do Governador) como um caso de lesão corporal culposa. A aluna Isabela Rocha, de 28 anos, que ficou gravemente ferida após o acidente, estava manipulando ácido nítrico, e vai ser investigada.

Segundo o delegado titular William Pena Júnior, ainda serão colhidos depoimentos para verificar se houve imprudência ou imperícia na manipulação do material. “O caso pode mudar de acordo com a evolução dos depoimentos”, afirmou.

Após os depoimentos e a conclusão do laudo pericial acontecerá a definição sobre o indiciamento da aluna.

Ficaram feridos na explosão:

  1. Isabela da Rocha Silva, 28 anos, aluna (grávida)
  2. Osvaldo Freire, 63 anos, técnico
  3. Nelson Aguiar, 62 anos, técnico

Em nota, a Reitoria da UFRJ informou que a explosão ocorreu durante um experimento e as causas do acidente serão investigadas pela instituição.

Erickson Almendra, diretor administrativo da Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia – disse que a maior preocupação é com a aluna, que foi ferida mais gravemente. Ela teve 20% do corpo queimado, segundo bombeiros.

“Ela sofreu corte no rosto, no pescoço e nas mãos, cortes acompanhados com queimadura de ácido. Ela foi atendida, foi estabilizada, não houve perda de sangue”, explicou ele.

O acidente foi na sala de polimento de amostras do Laboratório de Práticas de Metalografia, no segundo andar do prédio de Metalurgia da Coppe/UFRJ, localizado no Bloco F da Ilha do Fundão. O andar foi interditado. Bombeiros de três quartéis foram acionados para o local.

A Coppe é o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina. O laboratório onde houve a explosão estuda as propriedades e a estrutura dos metais e das suas ligas, com a aplicação do microscópio.

Mapa localiza o bloco do laboratório do acidente na Coppe, na Ilha do Fundão (Foto: Claudia Ferreira/G1)
Mapa localiza o bloco do laboratório do acidente na Coppe, na Ilha do Fundão (Foto: Claudia Ferreira/G1)

Marcas de sangue podiam ser vistas no corredor após explosão em laboratório da Coppe/ UFRJ (Foto: Hannah Luz/ Arquivo pessoal)
Marcas de sangue podiam ser vistas no corredor após explosão em laboratório da Coppe/ UFRJ (Foto: Hannah Luz/ Arquivo pessoal)

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br