Novo estudo revela que proteínas vindas de peixes e de plantas são saudáveis, mas outras fontes podem ser prejudiciais à saúde

Segundo novo estudo, a ingestão de carne vermelha pode ter impactos muito negativos na saúde Shutterbug75/Pixabay

De acordo com um estudo publicado nesta segunda, 3, no periódico científico JAMA Internal Medicine, o consumo de carne pode ser muito prejudicial à saúde. Segundo a pesquisa, feita por cientistas das universidades Northwestern e Cornell (ambas nos EUA), ingerir carne vermelha, processada ou de frango duas vezes por semana resulta em chances de 3% a 7% maiores do indivíduo desenvolver doenças cardiovasculares.

Ainda consta no artigo que a carne vermelha está intimamente ligada a uma maior incidência de mortes por qualquer causa. O consumo desse tipo de proteína, afirmam os cientistas, tem sido constantemente relacionado ao aparecimento de males como o câncer.

Dessa forma, sugerem os pesquisadores, deve-se atentar às alternativas. Peixe, frutos do mar e proteínas vindas de plantas são excelentes opções para quem busca fugir dos riscos trazidos pela carne vermelha.

O estudo se baseou nos hábitos alimentares de quase 27 000 participantes, com idade média de 53 anos. Os cientistas lhes pediam que listassem aquilo que ingeriram no último mês e ano, e então fizeram a análise.Publicidade

Apesar do espanto que pode ser causado pelas descobertas da pesquisa, é importante notar que há ressalvas. Primeiramente, vale destacar o fato de que os participantes relataram suas dietas aos pesquisadores apenas uma vez — ou seja, o estudo desconsidera possíveis mudanças em hábitos ao longo do tempo.

Além disso, os métodos de cocção das carnes não foram considerados. Isto é: aqueles que ingeriam frango frito e os que consumiam frango grelhado foram colocados no mesmo grupo, desconsiderando o fato de que alguns tipos de fritura contribuem para o desenvolvimento de graves doenças crônicas.

Por Sabrina Brito da Veja.com