O jornalista Júlio Olivar lança em março, em Porto Velho, o livro “O poeta que morreu de amor” (Editora Temática, 124 páginas) que conta a história do poeta Vespasiano Ramos.

[dropcap]N[/dropcap]ascido no estado do Maranhão, Vespasiano morreu em Porto Velho em 1916, aos 32 anos. Na época, ele estava lançando seu primeiro e único livro, “Cousa Alguma”, que foi muito bem recebido pela crítica especializada do Brasil, principalmente na então capital da República, o Rio de Janeiro.

Personalidade controvertida e boêmio inveterado, veio do Maranhão para Porto Velho fugindo de um amor mal resolvido pela sua musa inspiradora. Acabou sendo “vítima” deste sentimento quando enveredou pelas noites-sem-fim que o mataram aos poucos.

A biografia está contextualizada à história da terra natal do poeta, Caxias (MA) – cidade em que também nasceu Gonçalves Dias e tantos intelectuais reconhecidos nacionalmente – e à formação da atual capital de Rondônia que tinha apenas um ano de instalação quando Vespasiano aqui aportou e morreu; faz um passeio pela vida sócio-cultural e a relevância da presença do poeta naquela fase e nos anos que se seguiram em Porto Velho.

“O poeta que morreu de amor” é o sexto livro de autoria de Júlio Olivar, atual presidente de Academia Rondoniense de Letras. A obra traz fotos, documentos e depoimentos inéditos, sendo prefaciada pelo jornalista Domingues Junior e apresentada pelo escritor William Haverly Martins.

Assessoria