Durante a oficina foram feitas mais de 1300 fotos. A oficina teve como objetivo promover a valorização da cultura negra no município

Com a câmera fotográfica nas mãos os alunos da escola pública estadual Inácio de Castro de Pimenteiras do Oeste participaram da “2ª Oficina de fotografia: Faces do Quilombo” e retrataram a comunidade. A atividade teve como objetivo de valorizar a cultura negra no município.

A oficina contou com aulas teóricas e práticas onde os alunos aprenderam sobre a história da fotografia, técnicas para fotografar e também foram a campo retratar a cultura, paisagem e belezas de Pimenteiras do Oeste durante um passeio fotográfico pela comunidade. Mais de 100 alunos foram capacitados durante a atividade.

A oficina de fotografia contou com a organização dos produtores culturais Marcio Guilhermon, Andréia Machado e Washington Kuipers, Pietro Paulo Di Amurin que fazem parte do Ponto de Cultura e Mídia Livre Serpentário Produções e da Associação Diversidade Amazônica (Acemda).

Alunos da escola pública estadual Inácio de Castro em Pimenteiras do Oeste foram capacitados na oficina de fotografia

O produtor cultural Marcio Guilhermon salientou que a proposta da oficina foi estimular os participantes, a partir de seu próprio olhar, a observar e registrar o lugar onde vivem, valorizando as riquezas culturais que expressam a identidade única de sua comunidade.

A jornalista Andréia Machado lembra que o projeto da “2ª Oficina de fotografia: Faces do Quilombo” foi contemplado pelo “Prêmio de Fotografia Dana Merril – 2017” do Governo de Rondônia através da Superintendência da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel).

“Agradecemos de coração o apoio da Sejucel que está sendo muito importante para a realização dos projetos culturais em Rondônia. A oficina foi maravilhosa, os alunos e professores participaram das atividades com alegria, agrademos a todos pelo carinho”, disse Andréia Machado.

Washington Kuipers ressaltou que duramente a oficina foram produzidas mais de 1300 fotos. “Os alunos demostraram muito interesse nas atividades da oficina. Eles estão de parabéns”, disse Washington Kuipers.

A supervisora da escola Inácio de Castro, Dolores de Souza salientou que a oficina foi muito produtiva e auxiliou os alunos a se expressaram culturalmente.

Já a aluna Letícia Ribeiro disse que gostou muito de participar da oficina. “Nunca tinha fotografado com uma câmera profissional e foi muito bom poder retratar a minha comunidade, agradeço a oportunidade e espero que tenhamos outras oportunidades”, falou Letícia.

Assessoria