231120120913024--SaeroA Secretaria de Estado da Educação (SEDUC) realiza a partir desta quarta-feira (6), o exame do Sistema de Avaliação Educacional de Rondônia (SAERO). Mais de 120 mil alunos do Ensino Fundamental e Médio vão fazer as provas nos turnos da manhã, tarde e noite, de acordo com o calendário da escola. Estão envolvidos no processo de aplicação 35 coordenadores regionais, 53 coordenadores municipais e 53 coordenadores de aplicação e 4.450 aplicadores. Todos são professores da rede de ensino estadual. As provas serão aplicadas até sexta-feira.

As provas aplicadas são de Língua Portuguesa e Matemática para alunos matriculados no 2º, 5º, 6º e 9º ano do Ensino Fundamental e no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio de todas as escolas públicas estaduais. Os resultados obtidos pelos estudantes nas provas são agrupados em quatro Padrões de Desempenho: Abaixo do básico, Básico, Adequado e Avançado.

Os Padrões indicam os conhecimentos e as habilidades que os estudantes já desenvolveram e quais são os desafios que eles ainda enfrentam em sua busca para melhorar cada vez mais. Os resultados, após analisados pela equipe gestora e docentes, serão utilizados para orientar o processo de intervenção pedagógica em busca da melhoria da qualidade da educação.

Implantado em 2012 pelo governador Confúcio Moura, a avaliação é realizada uma vez por ano. A iniciativa visa fomentar mudanças em busca de uma educação de qualidade através de avaliação diagnóstica. A partir dos resultados obtidos, a meta da SEDUC é usar estes dados para implementar políticas que  venham  suprir as necessidades verificadas e melhore os índices da educação no Estado.

A avaliação estadual difere em dois pontos básicos das provas que são aplicadas nacionalmente para aferir desempenho das escolas: a quantidade de séries examinadas e a realização anual. O projeto prevê que os exames ocorram sempre no mês de novembro.

A metodologia utilizada também é um diferencial, pois, ao diagnosticar as competências que não foram desenvolvidas pelos alunos, o SAERO vai permitir saber se é uma situação localizada – da criança, da sala, do município, do professor – ou geral. Para esse diagnóstico minucioso concorrem informações que são levantadas paralelamente à aplicação dos exames, como o diagnóstico socioeconômico e a aferição de assiduidade às aulas, dentre outros.

Fonte: Ascom/Seduc