O ginasta, acusado de três tentativas de assédio, terá de sair para prestar depoimento até sexta, caso não seja eliminado no paredão desta terça-feira 4

Petrix, o líder dos homens no BBB apalpa o peito de participantes do reality show
Petrix, o líder dos homens no BBB, apalpa o peito de participantes do reality show  Globo/Reprodução

Após três acusações de assédio sexual dentro do Big Brother Brasil, a Polícia Civil carioca – por meio da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá – entregou na tarde desta segunda-feira 3 uma intimação ao ginasta olímpico brasileiro Petrix Barbosa.

Segundo o documento entregue no Projac, onde o BBB é gravado, Petrix tem até a sexta-feira 7 para sair da casa do programa e se apresentar à polícia para prestar depoimento sobre os casos de assédio em que estaria envolvido. Como o participante compõe o paredão desta semana, caso ele saia nesta terça-feira 4 pelo voto do público nem será preciso deixar o programa para cumprir a determinação.

Em duas ocasiões, Petrix chacoalhou a participante Bianca Andrade, conhecida como Boca Rosa no mundo das blogueiras. Em uma delas, o rapaz afagou a moça por trás com movimentos dignos de um cachorro tarado pela perna do dono. Na primeira vez, a jovem estava bêbada e logo o público percebeu a mão boba de Petrix no seio da moça: ela, porém, o inocentou durante uma conversa com a produção da Globo no dia seguinte, dizendo que não se lembrava de ter sido constrangida.

Em outro momento, Petrix esfregou suas partes íntimas na cabeça de outra participante, Flayslane, que estava sentada no chão, também bêbada após uma festa.Publicidade

A nova edição do reality tem causado barulho nas redes sociais ao mostrar um grupo de macho das cavernas que tem provocado repúdio e oposição.

A diretoria de mulheres da OAB no Rio de Janeiro chegou a escrever uma carta de repúdio ao tratamento dado às mulheres pelos participantes homens do reality. Na nota, assinada por Marisa Gaudio e Rebeca Servaes, a entidade afirma que é “extremamente preocupante que comportamentos como esses sejam veiculados em rede nacional de forma naturalizada”. 

Veja.com