Zagueiro diz que a seleção sabe que tem de sofrer para conquistar o hexa.

dk-015135-copy-size-598

A atuação da seleção brasileira no empate em 0 a 0 com o México foi vista como positiva para os atletas da seleção brasileira. Nesta sexta-feira, o zagueiro David Luiz e o lateral-esquerdo Marcelo falaram, na Granja  Comary, sobre o alto nível e os resultados surpreendentes desta Copa do Mundo. De acordo com David Luiz, a equipe tem mostrado maturidade diante de situações inesperadas. E este é o caminho para conquistar o título. 

David Luiz disse que o empate Fortaleza foi um resultado normal. “O nível de uma Copa do Mundo não é o mesmo da Copa das Confederações. Vimos a atual campeã sair da primeira fase, e a Austrália, considerada o saco de pancadas do grupo, complicar o jogo para a Holanda. Precisamos evoluir, mas sabemos também que é preciso saber sofrer.”

David Luiz analisou o comportamento da equipe nas duas primeiras partidas. “Contra a Croácia, saímos perdendo, o que ainda não tinha acontecido, e fiquei feliz com a reação da equipe. Tivemos paciência, fomos maduros e conscientes. Contra o México o jogo teve nível muito alto, o que nos deu a consciência do que será esta Copa daqui para a frente.”

Cobrança – “Crescemos em um país em que a paixão nacional é o futebol. Fomos acostumados com grandes jogos, partidas de muitos gols, craques, dribles, aquilo que todos, inclusive nós jogadores, gostamos. Mas o futebol evoluiu. Hoje todo mundo pode assistir a um vídeo, aprender com os outros. Todos os times querem ganhar.”

Camarões – “A goleada que eles levaram da Croácia não traduziu o que foi o jogo. Eles vão jogar com o orgulho ferido e têm a chance de ganhar do Brasil, o que seria como um título para eles. Será um time aguerrido, de qualidade e que vai querer ganhar da gente.”

Titulares ameaçados – “Jogador quando sai do time nunca fica feliz. Mas um jogador de seleção brasileira tem de assimilar as críticas e saber o que precisa fazer para voltar ao time. Jogador que se abate não está pronto para disputar um campeonato desse nível. Sair do time é comum na Europa, todos sabem como funciona.”

Cartões – “O grupo tem de estar preparado para reposição, e nós estamos.”

Neymardependência – “Ele resgatou a magia do jogador brasileiro e nosso sonho de ter um companheiro disputando o título de melhor do mundo. Mas é um menino, sabe que um resultado não depende só dele. Ele não tem a responsabilidade de jogar bem e decidir todos os jogos.”

Latinos – “É uma coisa mágica que está acontecendo nessa Copa do Mundo. Além do hino, a competição de quem grita mais, como no nosso jogo contra o México, em Fortaleza. Nunca tinha visto um país vir com tantos torcedores e praticamente dividir a torcida com o Brasil. A atmosfera está sendo linda para o futebol.”

VEJA