“Minha vida é andar

Por esse país

Pra ver se um dia descanso feliz

Guardando as recordações

Das terras por onde passei

Andando pelos sertões

E dos amigos que lá deixei”.

A Triste Partida, Patativa do Assaré.

Canção interpretada por Luiz Gonzaga.

O corte da seringa

O corte da seringa

Getúlio Dorneles Vargas foi o Presidente brasileiro que mais tempo governou, entre os anos de 1930 e 1945, retornando mais tarde para seu quarto mandato como autoridade maior da Pátria, a fase mais dramática de sua vida quando inclusive ocorreu o seu suicídio em 24 de agosto de 1954.

Getúlio Vargas se encantou com a teoria fascista, pois estávamos vivendo o período conhecido como: “O Entre Guerras”, período que separou a Primeira Guerra Mundial 1914 – 1918, da Segunda Guerra Mundial 1929 – 1945.

O Fascismo adotado pela Itália de Benito Mussolini é uma doutrina política que se assemelha ao Nazismo Alemão, defendia idéias como: nacionalismo radical, estatização da economia, poder centralizado nas mãos de um único líder, racismo, etc.

Getúlio gostou da teoria totalitária e sua política trabalhista tinha um forte apego a essas idéias.

Ao assumir o Governo Brasileiro em 1930, após um golpe de Estado, Getúlio se aproximou do movimento tenentista, que vinha atuando com muita repercussão em todo país, inclusive em função da famosa Coluna prestes 1924-1927, ao mesmo tempo, se afastou das forças políticas tradicionais e conservadoras do café com leite.

Nesse contexto surge um importante personagem de nossa história, Aluízio Pinheiro Ferreira, que vai se tornar um dos importantes caciques políticos da região. Aluísio Ferreira em 1924 participou do movimento revolucionário entre Manaus e Belém. Em 1925 Aluízio já se encontrava no seringal de Paulo Saldanha e, no ano seguinte, foi para o seringal de Américo Casara.

Apadrinhado por Getúlio e em nome do Nacionalismo Varguista nacionalizou a Estrada de Ferro Madeira Mamoré, assumindo a sua direção em 1931.

MÁQUINA 18, UMA DAS DUAS EXISTENTES E QUE PODEM SER RECUPERADAS, A E.F.M.M. RECEBEU AO TODO 22 LOCOMOTIVAS

MÁQUINA 18, UMA DAS DUAS EXISTENTES E QUE PODEM SER RECUPERADAS, A E.F.M.M. RECEBEU AO TODO 22 LOCOMOTIVAS

Diferente dos Governos anteriores, Getúlio Vargas dava inicio a um governo que enxergava as verdadeiras dimensões do Brasil, não via somente o Sul, Sudeste e Nordeste, ele traçou políticas para todo o Brasil, e especialmente para a região que se transformaria mais tarde no Território Federal do Guaporé em 1943.

A nacionalização trouxe um alento ao município de Porto Velho, pois diante do quadro desastroso da economia da borracha que estava em crise, às perspectivas de desenvolvimento regional eram péssimas, agora, com um governo patriótico, defensor dos seus filhos e filhas, os ânimos melhoravam e novos caminhos começavam a ser apontados.

“PELAS” PEÇAS DE BORRACHA EM FRENTE A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE GUAJARÁ MIRIM, DÉCADA DE QUARENTA

“PELAS” PEÇAS DE BORRACHA EM FRENTE A ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE GUAJARÁ MIRIM, DÉCADA DE QUARENTA

Os dois primeiros Governos de Getúlio, o Governo Provisório 1930– 1934, e o Governo Constitucional de 1934-1937, foram marcados por um conjunto de crises políticas e econômicas características do “Entre Guerras”, período como ficou conhecido o momento entre a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial. O mundo passava por grandes problemas, e nosso País sofria os reflexos dessa crise.

SEM PALAVRAS

SEM PALAVRAS

Em 1937, Getúlio Vargas deflagrou um novo golpe político, instaurando o “Estado Novo” 1937–1945. Este novo momento do Governo Vargas vai desenvolver uma grande campanha nacional chamada: “A GRANDE MARCHA PARA O O’ESTE”, tendo o objetivo de ocupar as regiões interioranas do Brasil. Foi utilizado um lema que afirmava o seguinte: “VAMOS LEVAR OS HOMENS SEM TERRA, PARA AS TERRAS SEM HOMENS”, assim se desenrola uma grande ação Governamental na ocupação territorial do grande vazio demográfico que se observava há muito tempo no interior do Brasil.

Ao mesmo tempo, o Mundo foi balançado por uma guerra que atingiu todos os níveis imaginários de terror, o homem assumiu o topo da monstruosidade, a condição de ser parasitário capaz de destruir o seu próprio planeta. Por mais que digamos, não conseguiremos demonstrar o tamanho da desgraça promovida e provocada pela Segunda Guerra Mundial, ocorrida entre 1939 e 1945. A guerra atingiu todos os Continentes e suas conseqüências ecoarão pela eternidade.

Emmanoel-Gomes-ArtigosO Brasil passava por um momento político onde Getúlio Vargas se fortalecia e detinha o controle sobre o Governo, tanto que através de mais um golpe de Estado se manteve no poder. O Golpe do Estado Novo, 1937.

Getúlio era simpático, também, ao nazifacismo, doutrina política ideológica que defendia uma brutal estatização e eliminação dos contrários. Tudo passava a ser controlado pelo Estado através de um Patriotismo doentio e o Poder centralizado na mão do Governante, para os Alemães, o Fuhrer, para os Italianos, o Dulce. Tanto o Nazismo como o Fascismo, defendiam o Anti-semitismo, perseguição aos judeus e demais povos que não possuíssem a mesma origem, neste racismo declarado, os judeus foram os mais perseguidos, segundo alguns estudos foram assassinados mais de seis milhões de judeus.

[print-me]