Propinas chegaram ao montante de R$ 40 mil. O esquema de corrupção tinha vítimas empresários de Vilhena e Colorado do Oeste.

Douglas Gonçalves Barbosa

Douglas Gonçalves Barbosa

[pullquote]O auditor fiscal Waldemiro Onofre Junior coagia empresários para evitar ou amenizar autuações e fiscalizações tributárias em troca de pagamento de propina.[/pullquote]

[dropcap]N[/dropcap]a manhã desta quinta-feira (27), o contador Douglas Gonçalves Barbosa, 30 anos, teve sua prisão preventiva decretada pela comarca de Colorado do Oeste. Em seu desfavor pesa o envolvimento com o auditor fiscal Waldemiro Onofre Junior que foi preso no dia 23 de abril deste ano acusado de cobrar propina de empresários para evitar autuações tributárias. A ação foi denominada “Operação Libertas”. A prisão preventiva de Douglas foi expedida naquela data e estava foragido.

Testemunhas afirma que Douglas tentou fugir em um carro quando percebeu a ação da Polícia Civil. Ele chegou a “furar” o semáforo da Av. Brigadeiro Eduardo Gomes e quis entrar correndo em sua casa, mas foi impedido.

Da redação do Rondônia em Pauta