As engenheiras atestaram a realização da obra no distrito industrial, mas os técnicos do TCE constataram que o serviço não foi executado.

DINHEIRO-PÚBLICO_charge_nani_rm_no_foco_email_de_davi[dropcap]T[/dropcap]omada de Conta Especial realizada pelo Tribunal de Contas de Rondônia em convênio firmado pela Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico e Social e a Empresa de Desenvolvimento Urbano de Porto Velho (Emdur) encontrou graves irregularidades, entre as quais, danos aos cofres públicos no valor de R$ 877.168,05 (oitocentos e setenta e sete mil, cento e sessenta e oito reais e cinco centavos).

Foram responsabilizadas pelos prejuízos financeiros ao erário as seguintes pessoas: Edson Luiz Vicente, secretário da Sedes; Mário Sérgio Leiras Teixeira, diretor presidente da Emdur à época da assinatura do convênio; Klebson Luiz Lavor e Silva, diretor presidente à época da execução do convênio; as engenheiras civil Jandyra Helena Ávila Adorno e Andreza Rezende do Amaral Macedo, além da própria Emdur. Todos estãos sendo citados para apresentar defesa parante o TCE pu recolher o montante do recurso ( R$ 877.168,05 ) corrigido.

O convênio foi firmado entre o Governo do Estado e a Emdur para a execução de obras e serviços de infraestrutura urbana e paisagismo no Distrito Industrial de Porto Velho, mas os recursos acabaram sendo desviados supostamente para a iluminação pública na capital. Tal fato, contudo, não ficou provado pelo então gestores da Emdur.

O TCE constatou que os serviços objetos do convênio não foram executados e tampouco houve a apresentação da prestação de contas. O responsável diretamente pelo ocorrido foi Klebson Luiz Lavor e Silva, segundo o TCE. As engenheiras atestaram a realização da obra no distrito industrial, mas os técnicos do TCE constataram que o serviço não foi executado.

Todos terão prazo para apresentar defesa junto ao TCE.

Da reportagem do Tudorondonia