OI complica vida de usuários em Vilhena

2013-05-27T16:52:46+00:0027 maio, 2013|Categories: Brasil, Em foco, Notícias, Rondônia|

A empresa de telefonia móvel ficou muda no sábado e, a partir de domingo, está funcionando precariamente, com linhas cruzadas, celulares mudos e cobranças indevidas nos saldos de crédito dos clientes

internet-740x552[dropcap]U[/dropcap]m calvário. Essa é a expressão que pode definir o que está sendo a vida dos usuários da OI (empresa de telefonia móvel) desde sábado (25). Telefones celulares mudos, ligações cruzadas e descontos indevidos nos saldos de créditos dos clientes. Essa tem sido a regra desde que supostamente cabos de fibras óticas foram furtados no vizinho Estado de Mato Grosso. No sábado os telefones ficaram integralmente mudos. A partir do domingo até hoje, a rede está caótica tanto para quem liga quanto para quem recebe ligações.

De acordo com informações repassadas por um funcionário de uma das lojas da OI em Vilhena, todo o Estado de Rondônia está com a comunicação precária pela telefonia móvel da OI. O funcionário não soube precisar à reportagem quando os serviços serão reestabelecidos plenamente.

“Liguei para números da OI local, não consegui completar a ligação e mesmo assim foram descontados créditos meus”, disse o usuário da OI e jornalista em Vilhena, Dhiony Costa e Silva. “E o pior: o desconto não ocorreu sobre os meus bônus, mas sobre o meu saldo de crédito”.

Outro usuário de Vilhena, Rodrigo Tadeu Bonatto, informou que perdeu R$ 6,00 em créditos mesmo tendo bônus para gastar. “E só liguei para telefones locais da OI. Como estava com bastante bônus, pensei que não perderia meus créditos”.

A situação está tão crítica que virou um dos temas preferenciais de usuários da OI nas redes sociais da internet. Alguns manifestam raiva pelo descaso da empresa com os clientes; outros já começam a levar na brincadeira e as piadas se proliferam.

Não é de hoje que os usuários de telefonia móvel brasileiros sofrem com a qualidade dos serviços prestados ao consumidor. Tanto é que há alguns meses, a Anatel suspendeu a expansão da rede de clientes de três operadoras que atuam nacionalmente: TIM, Claro e OI. As empresas de telefonia móvel historicamente lideram o ranking de reclamações de clientes junto aos Procon’s – Programa de Proteção e Defesa do Consumidor – de todos os estados brasileiros. As empresas são alvos de pesadas multas mas, mesmo assim, não melhoram a prestação de serviços ao consumidor – que, diga-se de passagem, no Brasil paga uma das tarifas mais caras do planeta.

O jornalista Dhiony Costa e Silva, além de perder créditos, reclamou porque praticamente perdeu o fim de semana. “Não pude  fazer nada, não pude convidar os familiares e amigos para um almoço, não pude marcar uma balada com a galera, enfim, nem mesmo eu sabia que éramos tão dependentes da telefonia celular”. O Brasil tem mais linhas habilitadas de celular do que habitantes – são 252 milhões de linhas, de acordo com a Anatel – Agência Nacional de Telefonia – contra 192 milhões de habitantes, de acordo com o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br