No final da tarde da quinta-feira (14) Policiais Militares do 3º BPM atenderam ocorrência com ataque de animais, no bairro 5º BEC. Três mulheres e dois cachorros estavam envolvidos.


No local foi informado que a vítima, J. S. A. F, que estava passeando com seu cão de “porte médio” sem o uso da focinheira, quando em dado momento ao passar pela Rua Almirante Tamandaré, um outro cão de “porte pequeno” saiu de dentro do quintal, pois o portão da referida residência estava entreaberto, quando houve o ataque entre os animais.


A vítima, J. S. F. A, alegou que durante a briga dos cães, L.S.G. desferiu várias “botinadas” em sua direção, na intenção de lesioná-la. A acusada L.S.G. confirmou ter desferido golpes de botina, sobretudo com a intenção de separar os cães.
A vítima sofreu um corte no antebraço esquerdo e hematoma no lábio superior. Os cachorros foram entregues aos seus respectivos responsáveis. Uma terceira mulher, M.S. se apresentou como responsável por um dos cães. A três envolvidas foram conduzidas e apresentadas na Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp).
Importância do uso da guia e focinheira nos passeios cachorros

A rua é repleta de estímulos. Um cachorro pode latir do outro lado, pode passar uma pessoa conhecida, crianças podem jogar bola, um gato pode pular de um muro. Enfim, diversas são coisas que podem chamar a atenção do seu animal de estimação. O que pode gerar desconforto e até mesmo um risco à saúde e à vida de todos envolvidos.


Em Vilhena, situações delicadas envolveram este tipo de ocorrência. Em dezembro de 2018, um morador acionou a Polícia Militar avisando que um cão da raça pit bull estava solto na ruas, atacando outros animais e ameaçando as pessoas que passavam pelo local e infelizmente a opção que restou aos militares foi o sacrifício do animal. Já em janeiro desse ano, uma situação semelhante aconteceu, sobretudo os Policiais Militares contiveram o cachorro e entregaram ao dono.


O artigo 31 da Lei de Contravenções Penais (LCP) prevê desde multa até a prisão do responsável pelo animal, que o deixar em liberdade, confiar à guarda de pessoa inexperiente, ou não guardar com a devida cautela animal perigoso. A lei também prevê as mesmas penas a quem em via pública.


Lembre-se sempre, ao passear com seu cão, use sempre a guia e a focinheira. Não conte com a sorte, respeite as imprevisibilidades e evite acidentes. A segurança dele e dos demais moradores da cidade dependem de você!


Assessoria do 3º BPM