Crime foi registrado por câmeras de segurança do presídio 470, em Porto Velho. Advogados foram presos por associação criminosa.

Penitenciária Estadual Milton Soares de Carvalho, em Porto Velho — Foto: Hosana Morais/Arquivo/G1
Penitenciária Estadual Milton Soares de Carvalho, em Porto Velho — Foto: Hosana Morais/Arquivo/G1

Dois advogados, de 24 e 29 anos, foram presos na tarde da última sexta-feira (31) tentando repassar uma carta com atualização das ações de uma facção criminosa a um detento da Penitenciária Estadual Milton Soares de Carvalho, 470 em Porto Velho.

Segundo o boletim de ocorrência, os dois advogados repassaram o conteúdo ao apenado no parlatório, uma sala da unidade prisional destinada ao atendimento de advogados e clientes.

O ato, segundo a polícia, foi registrado por câmeras de segurança do presídio que mostraram os suspeitos repassando alguns papéis ao preso.

A confirmação veio após um dos servidores da unidade prisional realizar procedimentos de revista no preso, quando foi encontrado, em meio a folhas de processos e extratos de pena, duas folhas com conteúdo digitado, além de fotografias de cartas e duas folhas, aparentemente, escaneadas.

Conforme o condutor da ocorrência, o conteúdo de uma das folhas fazia menção a entrada de “pentes” (serras) e “rádios” (celular) a apenados do presídio 470, a mando de um membro de uma facção criminosa que atua em Porto Velho.

No flagrante, o servidor da penitenciária explicou que os advogados cometeram infração ao participarem ativamente no transporte de informações referentes a planos e fatos já praticados por membros de uma organização criminosa.

Com isso, os dois advogados receberam voz de prisão por associação criminosa e foram encaminhados à Central de Flagrantes de Porto Velho.

G1