As diligências da Draco renderam 152 medidas judiciais: 33 prisões, 83 mandados de busca e apreensão e 36 medidas cautelares

Em apenas meio ano, delegacia que combate organizações criminosas em Rondônia deflagrou 10 operações

O setor de Segurança Pública do Estado de Rondônia encerra 2018 com resultados significativos no que diz respeito, especialmente, ao combate a organizações criminosas.

Apenas no segundo semestre deste ano, comemora o delegado Eduardo Vanderson Batistela Barbosa, titular do Departamento de Estratégia e Inteligência (DEI), as Delegacias de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) – tanto da capital quanto do interior – realizaram nada menos do que dez operações consideradas bem-sucedidas.

São elas:

01) Akhav;
02) Alcateia;
03) Armagedon;
04) Contrafação;
05) Futuro Incerto;
06) O Aprendiz;
07) Pau Oco;
08) Sinal Vermelho (Fase 1);
09) Sinal Vermelho (Fase 2) e;
10) Vida Espúria.

Da dezena de operações, a Justiça expediu 152 medidas, que consistiram em:

I – 33 prisões; seis delas em flagrante delito;

II – 83 mandados de busca e apreensão e;

III – 36 medidas cautelares.

“Imperioso ressaltar que o sucesso de tais ações somente se deu após ter sido dobrado o numero de delegados de polícia na Draco 1, com a lotação de mais dois delegados a partir de agosto, e a criação e estruturação da Draco 2, ocorrida no mesmo mês”, destacou Eduardo Barbosa ao apresentar números oficiais ao governador Daniel Pereira (PSB) e à alta cúpula da Segurança Pública rondoniense.

O delegado entende que o quadro reflete o quanto vale investir na estruturação de unidades de combate ao crime organizado, “pois tais resultados foram obtidos mesmo com a imensa defasagem de efetivo existente nas Draco e no DEI”.

Para ele, o sucesso das incursões foi obtido através do esforço e comprometimento de toda equipe policial, “que não mediu esforços para cumprir sua missão, os quais com muito orgulho portam seus distintivos e honram a Polícia Civil”.

Entretanto, na visão do profissional os resultados podem ser ainda muito melhores, caso haja um maciço investimento no combate ao crime organizado, com a lotação de mais servidores policiais, capacitação técnica e estruturação com “melhores instalações físicas, aquisição de equipamentos e novas viaturas”.

Agredecimentos ao TCE/RO

O delegado Eduardo Vanderson Batistela Barbosa fez questão de destacar o apoio recebido por parte do presidente do Tribunal de Contas (TCE/RO), o conselheiro Edilson de Sousa Silva.

“[o presidente do TCE/RO] acredita no trabalho da Polícia Civil e muito investiu neste Departamento, por meio da doação de veículos e computadores, envio de servidores para cursos de capacitação, bem como cedendo espaço físico para a instalação da unidade Draco”.

Mais imagens das dez operações da Draco

Autor / Fonte: Rondoniadinamica