escola

[dropcap]S[/dropcap]em nenhuma providência por parte do Estado, o patrimônio público continua sendo alvo da ação de marginais, causando prejuízos à qualidade do ensino para os alunos da rede estadual.

Pela vigésima vez a Escola Padre Mário Castagna, na Zona Sul de Porto Velho, foi arrombada esta semana e a direção já não sabe mais o que fazer para chamar atenção para o problema. “Eles estão destruindo a escola. Já comunicamos à Seduc, mas ainda não se manifestaram para resolver a situação. Desta vez levaram toda a fiação da escola e estamos sem energia por isso”, revelou o diretor, José Ramalho.

O ano letivo inicia em fevereiro, e uma nova instalação elétrica é a outra dificuldade a ser enfrentada pela direção para não atrasar o início das aulas para os mais de 500 alunos matriculados na escola de Nível Fundamental. Em dezembro, em apenas 12 dias, a mesma escola foi assaltada três vezes, e o diretor estimava um prejuízo de mais de R$ 40 mil, o que com o furto da fiação deve ser ainda maior.

Pais de alunos e professores temem pela segurança dos alunos inclusive em horários de aula, e ameaçam fechar a rua Campos Sales para exigir providências das autoridades.

RONDONIAGORA