Mais de 6,5 mil agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal fazem protesto por reajuste salarial e melhores condições de trabalho

imageUma nova paralisação está programada para os dias 25 e 26 de fevereiro e nos dias 11, 12 e 13 de março. Foi decretado o estado de greve juntamente com os sindicatos estaduais, há 7 anos o governo emperrando as negociações.

Policiais Federais de Vilhena aderiram hoje (11) ao dia de paralisação proposto pela Federação Nacional dos Policiais Federal (Fenapef) e pelos sindicados da categoria nos 26 estados e no Distrito Federal em protesto por reajuste salarial e melhores condições de trabalho.

imageAgentes, escrivães e papiloscopistas reclamam que estão recebendo tratamento diferenciado em relação a outras categorias do funcionalismo público federal. Segundo eles, enquanto outros servidores receberam de 20% a 30% de reajuste no ano passado, eles tiveram 15,8% dividido em três anos.

Algemaço em Porto Velho aconteceu nesta sexta-feira, hoje os policiais paralisaram no país inteiro por 24 horas. Na Delegacia da Polícia Federal de Vilhena, só haverá serviço de passaporte agendado, o restante fica tudo parado. São mais de 20 policias que atendem todo o Cone sul de Rondônia, Alta floresta, Espigão do Oeste, Rolim de Moura, Santa Luzia, Pimenta Bueno atingindo 19 municípios. No estado de Rondônia, a Polícia Federal conta com um efetivo de menos de duzentos homens.

Policiais seguem o calendário de mobilização com manifestos contra o governo federal por causa de insatisfação com a estrutura oferecida para trabalho em todo o país. Os policiais afirmam que seguirão com a paralisação geral nos próximos dias.

Por Hernán Labajos Lagos