amargo[pullquote]Policiais da Delegacia de Polícia Civil de Pimenta Bueno desarticularam um laboratório de fundo de quintal usado para fabricação de “remédios”,  que eram  manipulados e comercializavam para farmácias e público em geral.[/pullquote]

[dropcap]N[/dropcap]o mês de fevereiro deste ano o representante da marca AMARGO no estado de Rondônia se deparou com o produto falsificado da mesma marca sendo comercializado em uma farmácia na cidade de Espigão do Oeste, comprou o produto e fez a denúncia na delegacia de polícia civil de Pimenta Bueno.

Desde então as investigações começaram sob o comando do Delegado de polícia civil  Juarez Lourenço de Morais. Na última segunda-feira (25), os policiais cumpriram mandato de busca e apreensão, sendo apreendidos mais de 320 frascos de “remédios” de fabricação caseira, na residência de um servidor público de Pimenta Bueno.

O servidor cooperou e disse que o produto era adquirido de uma pessoa na cidade vizinha, Cacoal.

No dia seguinte o agente da polícia civil de Pimenta Bueno, Luiz e Tiné, com o apoio dos agentes da cidade vizinha, Cacoal, se deslocou até o bairro Brison, onde, em uma residência, foi confirmado pelos policiais a existência de um laboratório de fundo de quintal que fabricava e manipulava “remédios” (produtos naturais).

O Delegado Juarez disse que no local não havia nenhuma condição de higiene. “Foi constatada a produção dos medicamentos em panelas, dessas que fazem merenda escolar; o local totalmente inapropriado, rações de cães ao lado das panelas, tachos de plástico, material para produção sem procedência e centenas de frascos embalados e outras centenas para serem embalados”, disse..

O Delegado informou que os produtos eram fabricados pela empresa “Vita Ervas”, possivelmente criada pelo infrator, com três CNPJ. “Três CNPJ eram usados pelo fabricante, sendo dois inexistentes na Receita Federal e um pessoal no nome do infrator, além de que, nenhum dos produtos tinha responsável técnico”, ressalta, acrescentando que  a comercialização era feita sem nota fiscal.

Juarez disse que todo o material será analisado pela vigilância sanitária. Disse também que qualquer pessoa pode ter adquirido esse tipo de produto falsificado”. Ao adquirir alguns desses produtos naturais é bom ficar atento, pois alguns têm nome comercial original, mas o produto pode ser falsificado, dando como exemplo o remédio Amargo”.

Produtos apreendidos: Confira alguns nomes que estavam nos rótulos dos produtos falsificados, fabricados e comercializados: DOZE ERVAS, UNHA DE GATO, CALMANTE, FORÇA E VIGOR, SAÚDE DO HOMEM, SAÚDE DA MULHER, ESPINHEIRA SANTA, CURA TUDO, AMARGO, PROVERMES, EXTRATON DE PROPOLIS, GOTAS DO ZECA, CASCARA SAGRADA, GINKO BILOBA, UXI AMARELO E COLAGENO.

“Esses medicamentos continham rótulos com informações, tais como: modo de usar, contra-indicação e outras com escrita bem grosseira”.

[tabs]

[tab title=”Rondônia em pauta”]Fonte: PC/RO[/tab]
[/tabs]