Invasores pertencem à Liga dos Camponeses Pobres – LCP

Na tarde desta sexta-feira (2), a Força Tática da Polícia Militar, em ação conjunta com a Polícia Ambiental, realizavam um patrulhamento na área da Fazenda Vilhena e Fazenda Jatobá em cumprimento à operação Paz no Campo. No local acontecia a invasão de terras promovido pelo movimento denominado Liga dos Camponeses Pobres – LCP.

Os policiais fizeram contato com as famílias acampadas, havia mulheres, crianças, idosos e vários homens.

Em determinado instante, um veículo GM Celta, prata, placa NCQ-3831/Ouro Preto do Oeste, onde estavam cinco pessoas se aproximou. Ao perceber a presença das viaturas policiais, o condutor parou o veículo e duas pessoas saíram. Claudeir e Grauria tentaram fugir, mas acabaram contidos pelos policiais. Os outros três, Claudson, Adelmo e Marilon também foram abordados.

Ao realizar buscas no veículo e nas mochilas que os dois que tentaram fugir tinham nas costas, encontraram munições calibre 12, calibre 28, .38 e espoletas.

Ao serem indagados sobre as munições, todos entraram em contradições ao dar várias versões. Claudeir afirmou ter obtido em Pimenta Bueno, que as munições eram suas e as estava levando para uma pessoa de apelido “Cowboy”, e não soube informar o nome.

Grauria disse que as munições seriam levadas para o acampamento da LCP, da qual ela faz parte. Os outros também são integrantes da LCP e estavam cientes do transporte das munições.

Marilon disse que é proprietário de um comércio na entrada da Fazenda Vilhena e atende os ocupantes dos movimentos da LCP e os sitiantes vizinhos, mas entrou em contradições ao tentar responder se comercializava armas de fogo e munições para os ocupantes do movimento da LCP.

Eles acabaram detidos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil.

Da redação do Rondônia em Pauta