Festa foi denunciada à PM durante a noite de domingo. Todos os envolvidos na festa precisaram assinar termo de responsabilidade.

Caso foi registrado na delegacia de Ariquemes — Foto: Diêgo Holanda/G1
Caso foi registrado na delegacia de Ariquemes — Foto: Diêgo Holanda/G1

Vinte e uma pessoas foram flagradas durante uma festa em uma piscina, na noite de domingo (21), em uma casa de Ariquemes (RO). Todos os envolvidos tiveram que assinar um termo de responsabilidade para esclarecimento futuro, na justiça, pois infringiram o decreto de calamidade pública de saúde.

De acordo com decreto estadual, a quarentena por causa da pandemia do coronavírus segue em vigor desde 17 de março. Com isso, festas ou aglomerações estão proibidas.

De acordo com o boletim de ocorrência de Ariquemes, a Polícia Militar (PM) recebeu a denúncia de que em uma casa na Rua Olavo Bilac estava ocorrendo uma festa e não era a primeira vez.

Ao chegar no local, a guarnição viu vários carros estacionados do lado de fora da residência. No quintal da casa também havia outros automóveis. Perto e dentro da piscina estavam 21 pessoas. Todas elas estavam sem máscara.

Quando questionados sobre quem era o dono da casa ou responsável pela festa, os envolvidos disseram aos policiais que ele havia saído e ninguém ali sabia informar onde o mesmo teria ido.

Por meio de uma conta de luz, a PM identificou o nome do proprietário e também que ele estava sim dentro da casa. O suspeito se justificou e disse não ter se pronunciado antes para ‘evitar problemas’.

Diante dos fatos, foram confeccionados termos de responsabilidade aos envolvidos por descumprir determinação do poder público, conforme o Decreto Estadual 25.049. Durante a confecção dos termos, um dos suspeitos se identificou aos policiais com um nome falso.

A PM anunciou que toda a ação estava sendo filmado pelas body cam (câmeras instaladas na farda policial). Diante disso o homem confessou e explicou ter usado o nome de um amigo. Além do termo de responsabilidade por infringir a lei durante a quarentena, ele também assinou outro termo e responsabilidade por falsa identidade.

Por Jheniffer Núbia, G1 RO