“Treme, treme”, como é conhecido Wesley Ferreira da Silva, de 27 anos, ficou em prisão domiciliar em Vilhena, após acusar seis agentes penitenciários de golpeá-lo com uma marreta de borracha, usada normalmente por lanterneiros e borracheiros em um presídio do Acre.

“Treme, treme” merece um Oscar (veja vídeo). Após enganar a justiça, no mês de julho deste ano, alegando que ficou cego e com lesões no cérebro e na coluna por tortura de agentes penitenciários dentro do presídio federal Antonio Amaro Alves, de segurança máxima, ele ficou em prisão domiciliar no município de Vilhena.

No dia 23 de outubro foi preso novamente por agredir a própria mãe e o padrasto, ele ainda desacatou os policiais. Ele está cumprindo pena em regime fechado em Vilhena e não está nem cego, nem com lesões no cérebro ou na coluna.

Reveja a matéria sobre a suposta tortura:

 Vídeo: Coloradense relata como ficou tetraplégico e cego após tortura em presídio do Acre

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]