Mãe e esposa do detento ajudavam no esquema

Na tarde desta segunda-feira (29) o funcionário Odelir Perego do Grupo Mazutti ligou para a Central de Operações da Polícia Militar relatando que desde o dia 25 deste mês vem sendo vítima de estelionato.

Segundo ele, ligavam tentando comprar produtos em nome do Grupo Mazutti, sendo no mercado Moretti 100 cestas básicas, na empresa Valmaq equipamentos para açougue e na empresa Rodobens o valor de R$33.000,00 em pneus.

Só não tiveram êxito devido a que os empresários envolvidos, desconfiaram dos altos valores e ligaram para Odelir para confirmação, não autorizando as compras.

Nesta segunda-feira (28), os estelionatários realizaram uma compra na empresa Diságua no valor de R$27 mil, tendo o funcionário Thiago ligado para autorização da venda junto a Odelir, que percebeu que novamente estavam aplicando o golpe de estelionato.

DSCN7921

Odelir solicitou novamente a ação da polícia e a equipe do Núcleo de Inteligência da PM (NI) o orientou a autorizar a venda e os policiais começaram a acompanhar, junto com a empresa, a chegada dos indivíduos.

Foi realizada pela empresa a venda no valor de R$5.076,85 conforme a Nota Fiscal da Diságua. O indivíduo que realizava a compra relatou que um caminhão iria buscar os produtos na empresa, sendo estes duas betoneiras e dois lavadores de alta pressão.

Na empresa compareceu a testemunha Gedeir Passos dos Santos que fez um frete dos produtos e se deslocou até a Av. 30, casa 6254 no Setor 8, onde estava sendo aguardado.

DSCN7931No momento em que chegou no local, duas mulheres em uma moto Biz C100, azul, placa NCS-7419/Vilhena mantiveram contato com Gedeir, momento em que a polícia abordou as duas. Tratava-se de Ironi de Fátima Freitas Muller e Mayara Thiara Novais Santos.

Ironi e Mayara

Ironi e Mayara

Ambas iriam pagar o frete dos produtos no valor de R$100 e transferir os produtos para outro veículo. Ironi é mãe de Sidnei Freitas Muller, vulgo “Kiko” que está preso na Penitenciária Central de Cuiabá/MT que estava realizando as compras por telefone, Mayara é esposa de Kiko. Elas estavam encarregadas de encaminhar os produtos para locais indicados por Kiko. Ironi informou que chegou hoje de Cuiabá

DSCN7930Ironi mora em uma casa localizada na Av. José Roberto Garcia Moreira, 7791 no bairro Embratel, o NI já tinha diversas denúncias de que o local funcionava como boca de fumo. No local foram encontrados 384 gramas de maconha na área de serviço, 41 gramas de crack, 1 balança de precisão, 5 folhas de cheque no valor de R$1.240,00 e R$3.662,00 em dinheiro. Dois comprovantes de depósito em nome de Wesley Santos Mendes no valor de R$3200,00, um extrato bancário em nome de Sidnei Freitas Muller, o “Kiko”, com várias movimentações no valor de R$33.114,45, duas folhas anotações de dinheiro pertencente a Kiko.

Ironi e Mayara foram presas e encaminhadas, junto com a droga e os produtos, à Delegacia de Polícia Civil

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

[print-me]