Segundo a polícia, na bagagem dele havia skunk e derivados da maconha em diversas formas. Com Relson também foi encontrada uma passagem internacional dos Estados Unidos.

Skunk e derivados de maconha foram encontrados na bagagem de Relson — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

Skunk e derivados de maconha foram encontrados na bagagem de Relson — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na manhã deste sábado (25) Relson Gracie, de 66 anos. O ex-lutador de jiu-jitsu e professor da arte marcial foi indiciado por suspeita de tráfico de drogas. A pena varia de 5 a 15 anos de prisão.

Segundo a polícia, nas suas malas, havia skunk, uma maconha mais potente, e derivados da droga em vários formatos: creme, óleo e erva. O material foi encontrado por dois cães farejadores.

Os agentes acharam também uma passagem internacional de Los Angeles para São Paulo. Há chance, portanto, de a droga ter origem estrangeira, segundo a PRF.

O caso aconteceu na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Piraí, no Sul Fluminense, na noite de sexta-feira (24), dentro de um ônibus interestadual que vinha em direção ao Rio de Janeiro.

G1 tentou contato com representantes da família Gracie, mas, até a publicação desta matéria, não houve resposta.

Cães farejadores encontram as drogas — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

Cães farejadores encontram as drogas — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal

Por Felipe Freire, TV Globo