Crime aconteceu na manhã desta quarta-feira, 6. Delegada responsável pelo caso ouviu a esposa do suspeito durante a tarde.

Médico estava chegando para plantão no Cemetron quando foi abordado pelo suspeito. — Foto: Pedro Bentes/ G1
Médico estava chegando para plantão no Cemetron quando foi abordado pelo suspeito. — Foto: Pedro Bentes/ G1

O suspeito de ter atacado o médico infectologista Gladson Siqueira, de 49 anos, com um ácido na manhã desta quarta-feira (6), se apresentou à Polícia Civil por volta das 14h na Delegacia de Homicídios de Porto Velho. O homem confessou ter jogado soda cáustica no rosto do médico, que está internado em um hospital da capital.

Conforme informações da Polícia Civil, o suspeito, identificado como o agente penitenciário Oziel Araújo Fernandes, de 41 anos, se entregou à polícia e foi encaminhado a um hospital particular para avaliação médica.

Ele está com um ferimento de bala no ombro direito, devido a troca de tiros com a vítima, que é militar da reserva do Exército. O caso aconteceu no estacionamento do Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), assim que a vítima chegava ao plantão da UTI da unidade hospitalar.

Médico Gladson Siqueira foi atacado com ácido na manhã da quarta-feira (6). — Foto: Reprodução/Rede Amazônica
Médico Gladson Siqueira foi atacado com ácido na manhã da quarta-feira (6). — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Durante a tarde desta quarta, a delegada responsável pelo caso, Leisa Loma Carvalho, ouviu a esposa do suspeito, que trabalhava com a vítima, e deve continuar ouvindo outras testemunhas.

Segundo a Polícia Civil, Oziel contou que premeditou o crime após descobrir mensagens entre a esposa e a vítima no celular dela. O suspeito chegou no local do crime em uma motocicleta e usou soda cáustica como ácido.

Para se defender, a vítima pegou uma arma que tinha no carro e trocou tiros com o suspeito, que ficou ferido. Em seguida, Oziel foi para casa, onde tirou a roupa que estava usando. Depois, recebeu os primeiros socorros da esposa e contatou o advogado.

G1 tentou localizar o advogado do suspeito, mas até o fechamento desta reportagem ele não foi encontrado.

Motocicleta utilizada pelo suspeito na hora do crime foi apreendida. — Foto: Mayara Subtil/G1
Motocicleta utilizada pelo suspeito na hora do crime foi apreendida. — Foto: Mayara Subtil/G1

Em depoimento à delegada, a esposa do agente penitenciário disse que não sabia que o marido cometeria o crime.

A motocicleta utilizada pelo suspeito na hora do crime foi apreendida, assim como o telefone celular da esposa dele, materiais médicos, toalhas e malas com medicamentos.

G1 – RO