Detenta fez avaliação para atestar se pode ou não progredir para o regime semiaberto. Consulta ocorreu no início da manhã, no setor psiquiátrico do Hospital de Base em Porto Velho.

Vânia fez exame no Hospital de Base em Porto Velho — Foto: Diêgo Holanda/G1
Vânia fez exame no Hospital de Base em Porto Velho — Foto: Diêgo Holanda/G1

A jovem Vânia Basílio Rocha, condenada a 8 anos de prisão por ter matado o namorado a facadas durante o ato sexual, passou por nova avaliação psiquiátrica na manhã desta quarta-feira (30) em Porto Velho. O exame foi realizado no Hospital de Base e durou menos de 30 minutos, porém o resultado ainda não foi divulgado.

Vânia fez um novo exame psiquiátrico porque tenta migrar para o regime semiaberto. Um laudo de 2016 atestou que Vânia era sociopata.

Presa em Vilhena (RO), cidade onde aconteceu o crime, Vânia viajou na tarde de terça-feira (29) até a capital Porto Velho em uma viatura da Secretaria de Justiça (Sejus) para passar pelo psiquiatra. Durante a noite ela ficou em uma cela do presídio feminino da capital.

Às 8h desta quarta-feira, Vânia chegou ao Hospital de Base por uma entrada lateral e foi levada diretamente à ala psiquiátrica da unidade. Na sala, a detenta foi avaliada pelo médico e, em menos de meia hora, foi liberada para voltar para Vilhena.

Vânia cumpre pena por ter matado ex-namorado a facadas — Foto: Reprodução
Vânia cumpre pena por ter matado ex-namorado a facadas — Foto: Reprodução

Procurada pelo G1, a unidade de saúde diz que todo procedimento ocorreu dentro da normalidade, mas que o resultado da avaliação psiquiátrica ainda não pode ser divulgado, pois o laudo é sigiloso.

Mudança de regime

Em 2018, Vânia alcançou o tempo exigido para progredir ao regime semiaberto, porém a Justiça ressaltou que ela teria que passar por um psiquiatra para atestar se ela estava apta para viver em sociedade.

No exame feito ainda em 2018, Vânia foi reprovada e por isso tentava um novo laudo. Segundo a defesa de Vânia o exame está marcado para esta quarta-feira.

Casamento durante a prisão

Vânia foi condenada a 13 anos de prisão, mas teve a pena reduzida para 8 anos e cumpre pena no regime fechado em Vilhena por ter matado o ex-namorado a facadas, durante o ato sexual. O crime foi em dezembro de 2015. A defesa pediu progressão para o regime semiaberto no ano passado, mas o pedido foi negado em primeira e segunda instância.

Segundo a direção da unidade prisional de Vilhena, a jovem continua com bom comportamento e trabalha e estuda dentro da unidade.

Em janeiro deste ano, Vânia conseguiu uma autorização judicial para casar, em Vilhena. A cerimônia foi realizada no cartório da cidade e o “sim” para o noivo foi acompanhado de beijos (VEJA AS FOTOS).

Vânia casou em janeiro, em Vilhena — Foto: Rede Amazônica/Reprodução
Vânia casou em janeiro, em Vilhena — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

‘Queria matar alguém’

Na época em que matou ex a facadas, a acusada confessou ter matado Marcos Catanio Porto e disse: “queria matar alguém“. Antes do assassinato, a jovem chegou a escrever um post no Facebook afirmando: “não fui má namorada“.

Um laudo feito meses depois da prisão apontou que Vânia é sociopata. No júri em que foi condenada, em setembro de 2016, a acusada fez cara de fúria ao ouvir a sentença. Em setembro de 2017, a jovem foi agredida por uma detenta e chegou a sair para registrar boletim de ocorrência.

Por Diêgo Holanda e João Antônio Alves, G1 RO e CBN Amazônia — Porto Velho