Macro[dropcap]O[/dropcap] prefeito Zé Rover, em três meses do início da nova gestão, já mostrou que, assim como no primeiro mandato, não vai medir esforços para trazer obras de grande destaque para Vilhena. Com o foco em terminar os projetos que estão em andamento, o prefeito reeleito não deixa de correr atrás de novos recursos para o município.

Rover afirma que sua prioridade é terminar as obras já iniciadas, como a macrodrenagem – obra gigantesca de R$ 25 milhões, iniciada no ano passado e que está em fase adiantada. Na semana passada, ele inaugurou mais uma etapa da Reforma no Hospital Regional. A primeira parte da mudança foi a reforma, ampliação e climatização da recepção do Hospital Regional. Desta vez, a inauguração foi da ala feminina, cozinha e refeitório. Os seis postos de saúde também estão sendo reformados e no Cristo Rei uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) será instalada. Rover também afirmou que quer concluir com urgência a segunda etapa da construção do Hospital Infantil e Maternidade.

No início do ano, Rover anunciou que Vilhena começou 2013 com quase R$ 200 milhões garantidos em investimentos do Governo Federal. Destes, R$ 62 milhões devem ser liberados ainda no primeiro semestre do ano, para serem revertidos em pavimentação asfáltica e drenagem. “Nossa meta é deixar Vilhena 100% asfaltada até o final desta gestão e com esse recurso chegaremos bem perto de atingir essa marca, porque o asfalto vai beneficiar praticamente todos os bairros da cidade”, comemorou, ao ver o projeto aprovado e publicado no Diário Oficial da União. O projeto está dividido em duas etapas: uma de R$ 29.120.216,66 milhões e outra de R$ 33.080.155,90 milhões.

Desse valor anunciado, R$ 6.804.000 milhões já estão empenhados e as obras começam nos próximos dias, tão logo os recursos sejam depositados em conta. Entre as obras que começam logo, estão: a construção de um galpão para abate de aves (R$ 110 mil), instalação de rede de energia elétrica (R$ 105 mil), construção do Centro de Educação Infantil (R$ 500 mil), construção da quadra poliesportiva no bairro São José (R$ 615 mil), construção da 1ª etapa do CRAS (R$ 850 mil), aquisição de um caminhão ¾ (R$ 115 mil), revitalização do kartódromo (R$ 409.500 mil), aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas (R$ 115 mil), pavimentação asfáltica (R$ 950 mil), construção da capela mortuária (R$ 500 mil), construção de feira livre coberta (R$ 515 mil), construção de uma praça no bairro Embratel (R$ 220 mil), construção de praça no setor 19 (R$ 410 mil) e recuperação de estradas vicinais (R$ 1.379.500 mil).

Além dessas obras, há ainda os projetos que estão cadastrados e que aguardam os trâmites legais para serem empenhados. Em projetos cadastrados junto ao Siconv (Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse do Governo Federal), Vilhena soma R$ 21.930 mil. São R$ 280 mil para a aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas, outros R$ 254 mil para a aquisição de trator e implementos agrícolas, R4 360 mil para a construção de praça pública, R$5.210 milhões para a drenagem pluvial, R$ 5.115 milhões para a pavimentação asfáltica, R$ 2.810 milhões para continuação da reforma e ampliação do Hospital, R4 5.103 milhões para urbanização e R$ 2.808 milhões para iluminação urbana.

Há ainda os projetos de grande porte e que estão cadastrados no Ministério das Cidades (PAC 2). São obras gigantescas e que vão transformar o município, como o maior projeto da história de Vilhena, o saneamento básico. Um investimento de R$ 102 milhões, a ser contemplado no PAC 2.

[tabs]
[tab title=”Rondônia em pauta”]Semcom[/tab]
[/tabs]