Projeto de vereador propõe combate à dislexia nas escolas municipais

2013-09-18T11:03:08+00:0018 setembro, 2013|Categories: Política|Tags: , |

O vereador Célio Batista (PP) está propondo, através de Projeto de Lei, que o município de Vilhena crie um programa específico para identificação e tratamento da dislexia na rede básica de ensino púbico de Vilhena.

GEDC0168[pullquote]A dislexia é um distúrbio da linguagem e/ou leitura que atinge as crianças nos primeiros anos da vida escolar e que pode causar sérios danos nos anos subsequentes dos estudantes.[/pullquote]

[dropcap]O[/dropcap] projeto de autoria de Célio Batista tem repercutido de forma positiva entre os vereadores e poderá ser aprovado por unanimidade na Casa de Leis em função da importância social junto aos alunos da rede municipal de ensino.

De acordo com o vereador, o aprendizado da leitura e da escrita corresponde a uma das habilidades básicas para todo o sucesso escolar. “Apesar de toda a sua importância, ensinar a ler e a escrever continua sendo um dos maiores desafios encontrado pelos educadores, não apenas em Vilhena, mas em todo o Brasil”, alertou Batista. Ele justificou que muitas crianças não conseguem chegar a um nível alfabético de escrita. “É por isso que encontramos nas series mais avançadas um grande numero de alunos ainda não alfabetizados ou que escrevem e leem de modo precário”, completou. O Ministério da Educação (MEC) estima que 5 a 10% da população mundial em idade escolar apresentam deficiência na leitura e na escrita.

O termo dislexia, talvez por soar como nomenclatura de uma doença, causa medo especialmente entre os pais que, por falta de informações, muitas vezes acreditam ser o fim do mundo ter um filho disléxico.

Em contato com educadores de Vilhena, o vereador Célio Batista foi informado que, ao contrário do que muitos acreditam, a dislexia não é o resultado de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição socioeconômica ou baixa inteligência. Ou seja, é uma condição hereditária com alterações genéticas, apresentando ainda mudanças no padrão neurológico.

A dislexia, de maneira resumida, poderíamos considerá-la como “dificuldade na leitura e na escrita por inabilidade de associar letras com os sons que elas representam”, reforçou o vereador acrescentando que é uma incapacidade de ler compreendendo o que foi lido. “Isto é, caracteriza-se por uma dificuldade na área da leitura, escrita e soletração. Compromete a capacidade de aprender a ler e escrever com fluência e correção e de compreender um texto”, disse.

A proposta do vereador é que o município crie nas escolas programas efetivos, para identificar estes distúrbios, criando equipes multidisciplinares para realizar uma avaliação precisa e garanta o acompanhamento permanente do profissional necessário.

Batista ressaltou que esse problema é bastante comum entre os estudantes da rede de ensino, por isso viu a necessidade de criar um projeto de lei para identificar e dar o tratamento adequado para as crianças e jovens deste munícipio.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”] Assessoria[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br