“Rover não agiu com má-fé, não agiu com dolo ou culpa, não se apropriou de dinheiro público, o qual não caractetiza enriquecimento ilícito e, consequentemente não teve dano ao erário público”, sustenta o relatório.

IMG_5566Pizza? Relatório final da CPI que poderia, eventualmente, cassar o mandato do prefeito José Luiz Rover conclui que não há motivos para cassar o mandato do prefeito José Luiz Rover. População vilhenense assiste de camarote, mas não se manifesta.

IMG_5567O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI será julgado às 9h desta quinta-feira (18) numa sessão extraordinária na Câmara de Vereadores de Vilhena. A CPI é presidida pelo vereador Carmozino Alves, tem como membro Vanderlei Graebin e como relator Célio Batista, eles entregaram o relatório nesta terça-feira (17).

Apesar da CPI pedir a não cassação do prefeito, os vereadores a favor da cassação poderão pedir vistas do relatório da CPI e posteriormente justificar a cassação.

Corre nos bastidores que até o momento são três o vereadores a favor da cassação: Junior Donadon, Maria da Farmácia e Professora Valdete. Porém há quem afirme que parte da antiga base aliada atrelada ao vice-prefeito Jacier Dias poderá dar seu voto a favor da cassação, estes são Jairo Peixoto e Marta Moreira. Mesmo assim ainda faltariam mais dois votos para completar os 7 necessários para ocorrer a cassação.

A CPI foi instaurada no dia 18 de setembro, dias depois de a Polícia Federal entregar à Câmara de Vereadores documentos que comprovam o desvio de finalidade da verba federal destinada à construção do Hospital Infantil. A denúncia da PF ocorreu em meio às investigações da Operação Stigma que trancafiou atrás das grades, preventivamente, o ex-secretário de Integração Governamental Gustavo Valmorbida primo de Rover e o ex-secretário de Saúde Vivaldo Carneiro.

Da redação do Rondônia em Pauta