Pré-candidata a deputada federal, a ex-secretária de Administração do governo Confúcio Moura diz que não conta com o apoio do Diretório Municipal do partido e deve estar em nova legenda até o mês de agosto

Vera Lúcia Paixão

Vera Lúcia Paixão

[dropcap]D[/dropcap]e olho nas eleições de 2014, a ex-secretária de Estado de Administração de Rondônia, Vera Lúcia Paixão, deve se desfiliar ainda hoje (quarta-feira 29) do PSB – Partido Socialista Brasileiro. Pré-candidata a deputada federal, a advogada disse que decidiu trocar de partido por não contar com o apoio do diretório municipal da sigla. A pré-candidata já iniciou conversações com alguns partidos, entre eles o PSDB, o PT, o PMDB e o PT do B.

                Paixão explicou que o presidente do diretório municipal do PSB, Miguel Câmara, secretário de Administração da prefeitura de Vilhena, manifestou apoio à candidatura do sindicalista Daniel Pereira, presidente estadual do Sindsef – Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia – para uma candidatura única da legenda para a Câmara Federal.

                “Parece que as pessoas que estão no comando do PSB querem ser sucessoras do Mauro Nazif (prefeito de Porto Velho), e eu não quero ser sucessora de ninguém”, disse Vera Paixão. Em relação à participação do partido na administração de Zé Rover, em Vilhena, a advogada disse que nunca concordou com a aliança. “Eu e o Nilton Schramm (marido da pré-candidata) nunca concordamos, mas como tínhamos muita afinidade com o Miguel Câmara, acabamos cedendo. Essa afinidade, porém, terminou na campanha de reeleição do Zé Rover”.

                Vera analisou que, nas últimas eleições municipais, o partido tomou uma decisão equivocada ao embarcar na candidatura à reeleição de Zé Rover. De acordo com a ex-titular da SEAD, se o PSB cerrasse fileiras com o PSDB/PTN/PV/PT do B, poderia ter eleito pelo menos dois vereadores. Na coligação do Zé Rover, sobrou para o partido apenas uma suplência. “O PSB ficou com o Rover não para dar melhores condições eleitorais aos candidatos do partido, mas apenas pelos cargos oferecidos pela coligação do prefeito”, disse Paixão. “Não concordamos com isso. Se a questão fosse cargos, eu poderia estar na secretaria de Terras até hoje. Numa coligação, não se pode pensar apenas na candidatura majoritária. Tem de se pensar também nos companheiros que vão concorrer a vagas na Câmara Municipal”.

                Ainda hoje (quarta-feira 29), Vera Paixão vai manter conversações com o presidente do Diretório Regional do PSDB, Expedito Júnior. A pré-candidata tem conversas agendadas também com Miguel Queiroz, presidente do Diretório Regional do PT do B, com a Deputada Epifânia Barbosa, do Diretório Estadual do PT, e com representantes do Diretório Municipal do PMDB em Vilhena. A decisão sobre o novo partido deverá ser tomada até agosto deste ano.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

[print-me]