Demora está na dificuldade de fazer os acessos nas rampas dos dois lados, diz DNIT. Previsão é de que seja entregue em dezembro de 2020.

Ponte sobre o rio Madeira, em Abunã, está com estrutura pronta.  — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Ponte sobre o rio Madeira, em Abunã, está com estrutura pronta. — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Está parada a obra da ponte sobre o rio Madeira, em Abunã (RO), que liga Rondônia ao Acre. A demora está na dificuldade de fazer os acessos nas rampas dos dois lados. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes do estado (DNIT-RO) deu um novo prazo para concluir o serviço.

A balsa continua sendo o único jeito de passar de um lado para o outro pelo Madeira em Abunã. Quem deseja ir ou voltar do Acre pela estrada, precisa fazer a travessia. Isso representa demora na viagem. Como consequência, carros e caminhões formam filas.

Enquanto a ponte não é liberada, motoristas precisam fazer travessia de balsa e formar filas.  — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

Enquanto a ponte não é liberada, motoristas precisam fazer travessia de balsa e formar filas. — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

A pouco metros é possível notar a ponte sobre o rio. Com quase dois quilômetros de extensão, a estrutura está pronta. A obra começou em 2014 e o investimento até então foi de R$ 130 milhões.

A estimativa é de que mais de dois mil veículos passem pela área diariamente. Entre muitas previsões, a última era de que a ponte que liga os dois estados seria liberada apenas a veículos até o fim do ano passado. Porém, não foi possível.

A estrutura da ponte está finalizada há meses. Do lado do Acre, falta apenas o asfalto e, conforme o DNIT, deve ficar pronto dentro de um mês. Mas do lado rondoniense a situação é mais complexa, já que a região é alagada e a necessidade de aterro é maior do que havia sido calculada.

A Rede Amazônica foi ao local e encontrou a área parada, sem movimento de trabalho pelos funcionários. Na contramão do que a reportagem viu, o DNIT informou anteriormente que a obra não estava parada. Segundo moradores e comerciantes da região, o serviço segue sem movimento desde dezembro de 2019.

Ponte está com extremidades trancadas para evitar tentativas de acesso.  — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

Ponte está com extremidades trancadas para evitar tentativas de acesso. — Foto: Armando Junior/Rede Amazônica

A empresa responsável deixou uma espécie de tapume com cadeado nas rampas para impedir o acesso. Máquinas também ficaram no local.

Por meio de um comunicado, o DNIT informou que há um novo prazo para a entrega da ponte: dezembro de 2020, ressaltando que o dinheiro para o término dos trabalhos está garantido.

Por Maríndia Moura, Rede Amazônica