Agentes Penitenciários em greve na Casa de Detenção de Vilhena

Agentes Penitenciários em greve na Casa de Detenção de Vilhena

[pullquote]Apenas 30% dos 2,2 mil funcionários irão continuar trabalhando para manter serviços essenciais, como alimentação, saúde e fornecimento de água, conforme manda a Lei[/pullquote]

[dropcap]A[/dropcap] greve teve início às 9h deste feriado desta quarta-feira, 1, e seguirá por tempo indeterminado. São mais de 2,7 mil servidores paralisados, aproximadamente 1,5 mil agentes penitenciários e mais de mil socioeducadores, técnicos penitenciários e agentes administrativos de Rondônia.

Eles reivindicam a apresentação do PCCR-Plano de Carreira, Cargos e Remuneração por parte do governo, o pagamento de adicional de insalubridade de 40% em cima do vencimento e melhoria no sistema penitenciário, prometida em setembro de 2012, onde outra paralisação já advertiu sobre a greve, o prazo venceu na terça-feira, 30, quando o plano chegou a ser apresentado na Assembleia Legislativa, mas a proposta não foi aceita, o que resultou na paralisação.

DSCN0847

Cid Souza

Cid Souza

Segundo, Cid Souza, delegado regional do Singeperon, sindicato que representa a categoria: “Esta reivindicação vem sendo pedida desde 2011 e a principal reivindicação da categoria é a apresentação do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração, estamos mantendo o 30% do efetivo de acordo com a Lei, a greve não tem dia para terminar”, afirmou Cid.

[tabs]
[tab title=”Rondônia em pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]