Anfiteatro da Casa de Cultura de Vilhena custará R$1,2 milhão

2013-04-28T01:39:01+00:0028 abril, 2013|

[pullquote]O prédio terá capacidade para acolher 500 pessoas, recurso foi assegurado pela deputada Marinha Raupp[/pullquote]

[dropcap]N[/dropcap]este sábado, 28, num café da manhã na residência do prefeito José Luiz Rover, a deputada federal Marinha Raupp (PMDB) afirmou que empenhará ainda neste ano o montante para a construção do anfiteatro. “O diálogo com o Ministério da Cultura está se fortalecendo, principalmente agora que a ministra Marta Suplicy tem uma posição mais determinante, ela leva a esperança e entende que não podemos estar isolados para fazer cultura. Temos que estar integrados com as outras áreas”, informou a deputada.

Rover, Marinha Raupp, Emmanoel e Valdir Raupp com o projeto do anfiteatro

Rover, Marinha Raupp, Emmanoel e Valdir Raupp com o projeto do anfiteatro

Segundo Marinha, quando Gilberto Gil era o ministro da pasta, abriu o diálogo e entendeu que Rondônia é um estado novo com cultura nova e precisa de uma infraestrutura voltada para fomentar a cultura, diferente dos outros estados, como por exemplo, Minas Gerais que trabalham com o resgate patrimonial. “Apesar de ser capital, Porto Velho ainda não tem teatro, iniciamos o projeto ainda no governo do Raupp há 14 anos e os governadores que passaram não concluíram a obra, o governador atual Confúcio Moura, quer concluir o teatro”, pontuou Marinha.

Hoje há programas no Ministério da Cultura, onde os projetos arquitetônicos para Rondônia estão prontos para trazer mais cultura. Foi ainda em 2010 que Rover propôs a Marinha colocar a cultura na pauta, tendo resposta afirmativa da deputada, que pretende munir dessa infraestrutura cada município rondoniense. Existe um projeto desenvolvido pela UNIR de Vilhena, mas a deputada achou conveniente atender as demandas do município.

“Há que ressaltar que não é apenas a infraestrutura cultural com que devemos nos preocupar, mas também devemos fomentá-la, e a Fundação Cultural de Vilhena é um instrumento, uma ideia maravilhosa”, disse a deputada que enfatizou o fato de que o professor e historiador Emmanoel Gomes e o prefeito Rover estejam retomando o diálogo para realizar um trabalho em conjunto para a ampliação do espaço cultural. Marinha finalizou seu discurso lembrando que o aniversario dela é no dia 23 de novembro, no mesmo dia do aniversário de Vilhena e a conclusão da obra do anfiteatro vai ser seu presente de aniversário.

Projeto da Casa da Cultura de Vilhena

Projeto da Casa da Cultura de Vilhena

Precursor e idealizador da Fundação Cultural de Vilhena, Emmanoel Gomes discursou: “Quando penso a cultura vejo que falta algo desde os primórdios do Brasil, cultura não é só concreto, luz e prédio, cultura são pessoas e aí é onde o Brasil tem falhado nesses 500 anos porque são construídos grandes anfiteatros, mas o artista não é valorizado. A fundação foi criada há 4 meses e deve valorizar aquele que produz, porque o prédio não canta, não pinta uma tela, nem faz artesanato, são as pessoas. Essa cidade para ser referência tem que valorizar as pessoas, fomentando a cultura de forma que o artista ganhe com isso”.

O prefeito Zé Rover destacou que já foi dado o primeiro passo criando a FCV, que foi idealizada na casa do professor Emmanoel. A primeira etapa da Casa da Cultura que albergará as oficinas já está concluída, agora a segunda etapa da construção é o anfiteatro.

DSCN0686[tabs]
[tab title=”Rondônia em pauta”]Autor e foto: Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.