Segundo investigações, vítima provocou a morte de uma jovem de 19 anos em 2015. No ano passado, familiares da garota encomendaram o assassinato dele.

A Polícia Civil de Vilhena (RO) concluiu que uma vingança motivou a morte de um homem de 49 anos, no distrito de Novo Plano, em Chupinguaia (RO). A resolução do inquérito foi divulgada nessa semana. Segundo as investigações, a vítima provocou a morte de uma jovem de 19 anos em 2015. Ele pilotava uma motocicleta, embriagado, quando atropelou a garota. Já no ano passado, familiares da mulher encomendaram a morte dele. Dois suspeitos de envolvimento no crime estão presos e outro foragido da Justiça.

Segundo as apurações da Polícia Civil, após o acidente em 2015, a jovem ficou hospitalizada, mas morreu dias depois. O motociclista foi preso e condenado pela morte da garota.

Contudo, o delegado Núbio Lopes de Oliveira explicou que, após cumprir a pena, o homem foi visto ingerindo bebidas alcoólicas na cidade, o que gerou a revolta de alguns familiares da mulher.

Em maio de 2017, o homem foi morto com um tiro no pescoço. No decorrer das investigações, uma testemunha apontou dois envolvidos e a Polícia Civil pediu a prisão temporária de um deles.

De acordo com o delegado, o homem preso temporariamente era um irmão de convivência da garota. Ele não tinha laços sanguíneos com a mulher, mas foi criado junto com ela.

Com a prisão do irmão, a polícia chegou até o suspeito de ser o executor do homicídio. Ele confessou que atirou na vítima enquanto o irmão da jovem pilotou a motocicleta. O suposto atirador ainda revelou que o irmão e pai da garota encomendaram a morte da vítima.

O pagamento prometido pela execução do crime foi uma motocicleta e a quantia de R$ 8 mil. Porém, o suposto atirador só recebeu a moto. “Testemunhas contaram que, após a morte da jovem, o pai dela passou a viver em desgosto, só chorando. O irmão dela relatou que toda vez que via quem provocou a morte da irmã, dava uma coisa ruim nele. Por isso, quiseram se vingar”, explica Oliveira.

A prisão temporária do irmão foi convertida em preventiva. O suspeito de ser o executor foi preso durante as investigações por tráfico de drogas e a Polícia Civil também pediu a prisão preventiva dele pelo homicídio. O pai da jovem está foragido da Justiça.

“O pai e o irmão da jovem foram indiciados por homicídio qualificado pela promessa de recompensa. O executor foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por ter matado pela recompensa e também por ter praticado um crime mediante recurso que tornou impossível a defesa da vítima”, ressaltou o delegado.

O inquérito foi concluído na semana passada e encaminhado para o Ministério Público de Rondônia. O G1 não localizou os advogados dos suspeitos.

Por Eliete Marques, G1 Vilhena e Cone Sul