Elas aproveitaram para homenagear profissionais que têm ajudado nessa luta diária, mesmo com recursos tão escassos

Cerca de 34 pessoas se uniram na última quinta-feira, dia 5, para comemorar as conquistas das mães de crianças e adolescentes com autismo de Colorado do Oeste. Por isso, se juntaram na Associação dos Policiais Militares de Colorado para uma confraternização especial.

Tudo foi organizado por Rudineia Pogere e com o apoio de todas as mães que fazem parte do grupo, entre elas Vanuza Lima Troczinski e Michele Nascimento Melo Magalhães.

“O propósito do encontro foi de estarmos juntos para celebrarmos o ano que se encerra e sendo o primeiro ano do grupo, festejando nossas vitórias já alcançadas até aqui, além de agradecendo e homenageando os profissionais que têm nos ajudado e feito parceria com a gente para avançarmos na melhoria da qualidade de vida de nossas crianças e adolescentes autistas”, conta Rudineia, que é a mãe da Leticia Vitoria Pogere Ferreira.

Por terem se tornado praticamente uma família, escolheram um local aberto e favorável para as crianças, se juntaram para os preparativos da festa e aproveitaram a ocasião para também debater as metas para 2020.

“Com o grupo fomos nos conscientizando dos nosso direitos e que podemos oferecer melhorias na qualidade de vida para nossos filhos. Então, nós já queremos iniciar o ano tendo a nossa própria sede, para que tenhamos um local certo para nossas reuniões, rodas de conversa e dar mais corpo para o projeto Autismo na Família”, pontua a mãe.

Qualidades e homenagens

Para mostrar que todo mundo é importante, durante a confraternização todos participaram de uma dinâmica, em que foi dado um presente embrulhado a uma pessoa para que fosse repassado a alguém com determinada qualidade e, assim, sucessivamente.

No final, o embrulho foi aberto e era uma caixa de chocolate, que foi degustada por todos.

Além das famílias, na festa foram convidados apenas profissionais que as mães consideram importantes nessa trajetória, os quais foram homenageados com uma placa feita especialmente para cada um deles.

“O Daniel Natal, terapeuta ocupacional, que além do trabalho em si também está nos ajudando com a capacitação de outros profissionais, a fonoaudióloga Marcia Isabel, que tem feito grande diferença com as nossas crianças na educação, a nossa amada diretora, psicopedagoga e também especialista em TEA, Sandra Valéria, a defensora Flávia Albaine, que tem feito parceria com o grupo e tem somado muito, além da psicóloga Vania Nanci, que contribui bastante conosco. E se fez presente o secretário da saúde, Gilmar Gervásio, que vem estreitando laços e feito parceria conosco, assim como o prefeito José Ribamar e o secretário da educação, Raimundo Nonato, que não estiveram presentes devido a outros compromissos”, ressalta Rudineia.

Flávia Albaine, uma das homenageadas, fala por todos sobre o carinho recebido.

“Todos os profissionais presentes, seja da área da educação, da saúde ou da jurídica, ficaram muito gratos de ter esse reconhecimento das mães de crianças e adolescentes com autismo de Colorado porque representa uma recognição do trabalho que vem sendo realizado por todos no decorrer de 2019 e que continuará em 2020. Cada um na sua área, dando a sua contribuição e se esforçando para ajudar a esse grupo de mães corajosas a conseguirem a efetivação dos direitos dos seus filhos, assim como a inclusão dessas crianças e adolescentes com deficiência na sociedade de Colorado”.

As metas para o próximo ano

Rudineia lembra que o início desse ano foi de total mudança, pois até então elas eram mães solitárias e que sofriam muitas dificuldades, como a falta de profissionais para atender às crianças laudadas ou no próprio processo de diagnósticos.

“Podemos relatar inúmeros erros médicos, grande dificuldades no processo escolar baseado na falta de capacitação e despreparo para receber essas crianças em sala de aula, causando grande transtorno para as mães, professores e, principalmente, para as próprias crianças. Também nos deparamos sempre com grande julgamento da sociedade, por desconhecimento do universo autista, gerando muita dor e desconforto aos familiares. E quando nos unimos com o grupo, iniciamos uma luta constante para vencermos todas essas barreiras”, comemora.

E a meta para 2020 é não parar mais. “Já conseguimos atendimento com o terapeuta ocupacional, que é de grande valia ao desenvolvimento, principalmente na parte sensorial a essas crianças. Promovemos rodas de conversas, no intuito de visualizarmos nossas maiores dificuldade e desabafos dos pais, além de palestras para a conscientização do autismo. Com o grupo também fomos nos conscientizando dos nosso direitos, então, vamos em busca de todo recurso necessário e criamos uma força imensa juntas”.

Nessa luta já está como objetivo no início do ano trazer a capacitação para os educadores, um dos assuntos de destaque durante a confraternização.

“Vamos em busca também de mais atendimentos, como psicólogas especializadas, fonoaudiólogas, cuidadores, mediadores, além da verdadeira inclusão em sala de aula. Descobrimos que juntas somos mais fortes e se o amor de mãe é enorme, unidas somos gigantescas”, finaliza.