Confúcio Moura fala a servidores estaduais em greve em Colorado do Oeste

2013-05-31T16:51:53+00:0031 maio, 2013|

Em evento que marcou lançamento do pacote de obras do governo do Estado no município, governador foi recebido por autoridades e grevistas e pediu que todos voltem ao trabalho

DSCN2892[dropcap]O[/dropcap] governador de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), foi recebido por autoridades e servidores públicos estaduais em greve durante o evento que marcou a assinatura da ordem de serviço liberando recursos para asfaltamento de 10 quilômetros de ruas em Colorado do oeste. Duas categorias – professores e agentes penitenciários – marcaram presença e fizeram protestos contra a caravana governamental.

            Em seu discurso – que foi antecipado para que o governador falasse aos grevistas –, Confúcio Moura afirmou que o Estado apresenta muitas dificuldades administrativas e estas têm de serem superadas uma a uma. Em relação a aumentos salariais, o governador citou reportagem da última edição da revista “Veja” dando conta de que 13 estados brasileiros estão com sérios problemas fiscais por extrapolarem o limite imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 46% do orçamento dos estados, para despesas com folha de pagamento.

DSCN2918

            “Estamos no limite”, disse Moura. “Se eu passar disso, terei de responder por crime de responsabilidade fiscal. Não é que o governo é ruim, não é que o governador é ruim. É que estamos no limite mesmo”. O governador afirmou que nos primeiros dois anos de seu governo os servidores estaduais tiveram aumentos reais de salários, sendo que o reajuste passou dos 95% para algumas categorias. “Infelizmente é a lei. Não se trata de um jogo onde um ganha e o outro perde. Esse é um jogo de perde-perde”, discursou.

            O governador finalizou seu discurso pedindo aos servidores em greve que retornem ao trabalho, e garantiu que, assim que a folha aliviar por conta da transposição, não será necessário greve: ele vai, espontaneamente, conceder os reajustes almejados pelo funcionalismo.

            O senador Valdir Raupp (PMDB), que também acompanhou a comitiva governamental, conversou com os servidores grevistas e ouviu as suas reivindicações. Em discurso, ele garantiu que se o governo pudesse, daria mais do que já deu até agora, entretanto, lembrou que, “ao mesmo tempo que o governador tem uma caneta na mão, tem também um Estado inteiro para cuidar”.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

[print-me]

3 comentarios

  1. Jucélia Rozeira Rocha 31 maio, 2013 at 5:49 pm

    Interessante esse discurso do governador, mas de onde vem o dinheiro para esse pacotão eleitoral? De onde vem o dinheiro para o aumento de 300% para os cargos comissionados? De onde vem o dinheiro para pagar a Fundação Roberto Marinho? E Por último onde foi parar o empréstimo feito pelo Senhor governador com o aval da Assembleia Legislativa do BNDES? Conversa fiada Senhor governador a Educação tem quase uma legislação própria em se tratando de recursos financeiros. Estamos cansados dessa conversa. Regulamenta a Lei dos Precatórios e pague nossas licenças em pecúnia. Já esperamos demais.

  2. Roberto 31 maio, 2013 at 7:05 pm

    Faço as minhas palavras as suas , Profª Jucélia, nós estamos sendo enganados com esse governo, e é bom dizer que ele não tem cumprido com os compromisso com nossos servidores, e ainda editou decreto 16.896, de 04 07.2012, que nega benefícios aos servidores, e vem reeditando a cada 120 dias, retem nossas consignações em até 90 dias, de modo que o governo esta levando nosso estado um caos.

  3. Jordan 7 junho, 2013 at 1:32 pm

    Engraçado!!! De onde será então que o Governador Confúcio Moura conseguiu verba para aumentar em 300% os cargos comissionados???? Será que ele tirou do próprio bolso? KK Acorda governador!!!! O senhor não vai nos enganar mais como fez até agora…

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br