Desemprego cresceu em Vilhena e região

2013-06-22T09:28:02+00:0022 junho, 2013|

desempregoDados revelados esta semana pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e analisados pelo Sindicato do Comércio Varejista do Sul de Rondônia (Sinvsul), com sede em Vilhena, demonstram que houve mais demissões do que admissões no comércio local entre janeiro e maio deste ano. A tendência é nacional e influenciada pela época do ano, risco de inflação e alta no dólar. Empresários reclama de tributação pesada e falta de capacitação de trabalhadores.

O relatório divulgado semana passada pelo MTE contém dados sobre o comércio e seus diversos setores de Vilhena entre janeiro e maio de 2013. No período, as mais de 1.400 empresas do comércio vilhenense admitiram 1.050 funcionários, enquanto demitiram 1.135, diferença de 8%. Estes números representam cerca de 20% do total de funcionários do comércio do município, revelando alta rotatividade. No Cone Sul, a situação é parecida: os desligamentos foram 7,9% superiores às contratações. As porcentagens que indicam alta no desemprego se repetem no Estado (8,7%) e no país (3,5%).

A construção civil também registrou queda no número de trabalhadores em Vilhena. Foram 260 demissões desde janeiro, contra somente 170 contratações. Colorado do Oeste, Cabixi, Cerejeiras, Corumbiara, Chupinguaia e Pimenteiras do Oeste admitiram, juntas, 274 trabalhadores no setor, enquanto dispensaram 437.

Apenas no setor de serviços local, do qual mais de 1.700 empresas fazem parte, a situação foi diferente. Foram realizadas 1.112 admissões, ao passo que somente 981 demissões. O mesmo cenário é observado no Cone Sul e no restante do Estado.

O Sinvsul analisa os dados com preocupação. Para a entidade, o aumento no desemprego é reflexo de impostos elevados, alta no dólar e perspectivas de agravamento da inflação. Empresários têm comentado com a diretoria do sindicato a dificuldade que encontram também em encontrar funcionários comprometidos com o cargo e capacitados para a função que almejam.

Outro fator a se considerar para a correta interpretação do relatório é a demissão de diversos empregados emergenciais, geralmente contratados no final do ano. Assim, o segundo semestre deve conter dados inversos a este. Contudo, o Sinvsul se mantém cético e prefere esperar novos dados antes de afirmar melhora na oferta de empregos da cidade.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Herbert Weil
(Enviado pela assessoria da SINVSUL)[/tab]
[/tabs]

[print-me]

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informações para contato

Mobile: (69) 9 9929-6909

Web: rondoniaempauta.com.br