Governo Confúcio Moura deve R$17 milhões, inadimplência provocará a demissão de 2500 vigilantes de escolas estaduais em Rondônia.

DSCN5183[pullquote]No município de Vilhena reuniram-se mais de 250 vigilantes de todo o Cone Sul no trevo da BR-364 que dá acesso ao município de Colorado do Oeste.[/pullquote]

[dropcap]O[/dropcap] Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Vigilâncias (SINTESV) bloqueou a BR-364 nos municípios de Porto Velho, Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena. A manifestação teve início às 8h desta segunda-feira (5).

Segundo o manifestante Rodrigues, a empresa Rocha é a que emprega os vigilantes através de contrato com a SEDUC em todo o Estado, a secretaria de educação deve R$17 milhões à empresa. “Estamos reivindicando a reposição salarial, que é o que o Governo tinha prometido para a empresa. O contrato vence no dia 30 de outubro e a empresa está demitindo 2500 vigilantes, alegando que não está tendo recursos para pagar a rescisão dos vigilantes, já que o Governo não pagou. Para fazer o acerto são necessários R$ 10 milhões dos R$ 17 milhões que está devendo”, explicou Rodrigues.

Rodrigues

Rodrigues

Os manifestantes também protestam porque querem permanecer nos seus postos de trabalho e reivindicam pelo menos uma nova licitação seja feita, para que os 2500 vigilantes não fiquem desempregados. Porém, segundo os manifestantes, o Governo não tem intenções de renovar o contrato com a empresa Rocha. “O governador alega que não tem verba para continuar o contrato”, finalizou Rodrigues.

A BR-364 ficará bloqueada até que haja uma resposta do Governo. Hoje o governador Confúcio Moura está cumprindo agenda nas cidades de Cerejeiras e Colorado do Oeste.

Bloqueio deixou uma longa fila de veículo na rodovia.

Bloqueio deixou uma longa fila de veículo na rodovia.

[tabs]
[tab title=”Rondônia Em Pauta”]Por Hernán Lagos[/tab]
[/tabs]

[print-me]