Governador quer incluir o peixe no cardápio da merenda escolar para promover o consumo. Objetivo é estimular a produção de peixes e impulsionar o desenvolvimento econômico do setor agropecuário.

[pullquote]O programa permitirá a perfuração de tanques, estimulando a atividade em toda região, de forma sustentável em centenas de propriedades rurais. Será desenvolvido em parceria com as prefeituras dos municípios, cada produtor poderá ser beneficiado com um hectare de lâmina d’água, o que permite a produção de oito toneladas de peixes.[/pullquote]

[dropcap]O[/dropcap] governo de Rondônia, por intermédio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), lançou na manhã deste sábado (22), a 2ª etapa do programa Água Produtiva no pesque pague Lupatini, localizado no setor Embratel de Vilhena.

A solenidade reuniu prefeitos, lideranças políticas, produtores e representantes dos sete municípios que formam o Cone Sul do estado, o governador Confúcio Moura, o secretário de Agricultura, Evandro Padovani e o secretário regional de Vilhena, Ronaldo Alevato.

Pelo acordo firmado entre a Seagri e a Prefeitura de Vilhena, o governo municipal fica responsável pela manutenção, cedência de técnicos e mais R$ 30 mil em combustível. O governo do estado fornece as patrulhas mecanizadas, formadas por retroescavadeiras (PC), pá-carregadeira e caminhão-caçamba.

Coordenadora do Programa Estadual Água Produtiva, bióloga Ilce Santos Oliveira

Coordenadora do Programa Estadual Água Produtiva, bióloga Ilce Santos Oliveira

A coordenadora do Programa Estadual Água Produtiva, bióloga Ilce Santos Oliveira, da Sedes, explicou que programa já beneficiou centenas de produtores: “A produção nos municípios era de 11 mil toneladas anuais. Após a primeira etapa do programa foi para 70 mil toneladas anuais. Nesta segunda etapa, o escopo é diferente também estão conveniadas o Idaron, municípios, cooperativas, descentralizando sua execução. Haverá um acompanhamento técnico ao produtor, enfatizando na estrutura e manejo. Em Vilhena temos a Sedam, Emater e Copama para auxiliar”, apontou a bióloga.

O governador Confúcio Moura discursou: “Queremos produzir o peixe para a merenda escolar. Nós temos que comer mais peixe no Estado e vamos começar isso na escola. Pelo menos duas refeições por semana nas escolas vão incluir o peixe. Eu também produzo peixe e tivemos dificuldade para vender. Mas Padovani conseguiu negociar e hoje vendemos para São Paulo, Paraná e outros estados. Queremos aumentar em 80 mil hectares a produção do arroz. Rover falou, profeticamente, que já já teremos uma indústria de celulose. Rondônia exporta 20% da produção nacional de gado. Vamos investir 17 a 18 milhões de reais em usinas”.

Governador Confúcio Moura

Governador Confúcio Moura

Cheia

“Nunca tivemos uma enchente dessa proporção. Se o rio não esparramasse para os lados, subiria 6 andares de altura. Brigamos na justiça para liberar a estrada com três pontes e ajudar o povo, a presidente mandou o pessoal dela e conseguimos a liminar. Semana que vem já há transporte até o local. Quero agradecer Vilhena pela solidariedade com os desabrigados, já saíram 4 caminhões com destino à capital. Graças a Deus com toda essa tragédia, ninguém morreu. Todo o estado se  mobilizou para ajudar. Acabamos gastando dinheiro fora do orçamento para ajudar toda essa gente”, finalizou.

Para finalizar, Confúcio Moura ordenou ao operador de uma pá carregadeira, ao lado de um dos tanques de peixe do local, iniciar os trabalhos de perfuração, dando início simbolicamente à segunda etapa do programa Água Produtiva.

Por Hernán Lagos
Jornalista profissional