Em reunião ordinária nessa terça-feira (14), na Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), o Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS) apresentou moção de aplauso ao governo de Rondônia e aprovou a criação da Câmara Setorial da Avicultura e Suinocultura, que tem por proposta fortalecer estes setores produtivos.

Representantes do Conselho de Desenvolvimento Rural Estado de Rondônia reuniram-se nessa terça-feira

Representantes do Conselho de Desenvolvimento Rural Estado de Rondônia reuniram-se nessa terça-feira

O representante do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Conselho, Jorge Werley, apresentou e foi aprovada a moção de aplauso ao governo de Rondônia em função dos resultados apresentados pela Unidade Técnica Estadual (UTE) da Seagri, que executa o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) em Rondônia.

“A inadimplência que em 2012 era de 65% passou para 11% em 2015 e saltamos de último estado da federação em financiamento de imóveis rurais para o terceiro no Brasil”, justificou Marcos Rodrigo, coordenador da UTE.

Em função dos resultados alcançados, os governos de Rondônia e Santa Catarina solicitaram à Secretaria de Reordenamento Agrário (SRA) do MDA que transferisse os recursos do Fundo de Terras e da Reforma Agrária para os respectivos cofres estaduais, “o que propiciaria a Rondônia um caixa de R$ 120 milhões, e agilizaria os financiamentos rurais”, explicou o secretário de Agricultura, Evandro Padovani.

O crédito fundiário é importante como política complementar à reforma agrária, pois proporciona a diversificação da produção da agricultura familiar, contribuindo diretamente para a melhoria e aumento da qualidade de vida das famílias atendidas. “O modelo adotado para os assentamentos sem impacto ambiental, e que evita a invasão de terras, adotado pela Seagri, é um salto qualitativo e social”, apontou Francisco de Sales, secretário adjunto do Desenvolvimento Ambiental.

Padovani adiantou aos membros do Conselho que já está em andamento a construção de uma vitrine tecnológica, com o que há de mais moderno em implementos e insumos agropecuários, em três hectares reservados para a administração do assentamento montado na antiga fazenda Santa Rita, em Candeias do Jamari, cujos 1.577 hectares foram adquiridos por 157 famílias (10 hectares para cada).

“A Câmara Setorial da Avicultura e Suinocultura é um instrumento indispensável na gestão público-privada pois, a exemplo das câmaras do café, cacau, carne, piscicultura, agroecologia e do Conselho de Desenvolvimento do Agronegócio Leite do Estado de Rondônia (Condalron), que já funcionam no estado, aprecia e debate as propostas e gargalos do setor e, ao apresentar ao CeDRS já traz soluções e sugestões previamente debatidas”, detalhou o secretário da Agricultura, que propôs ainda a descentralização das reuniões de todas as câmaras setoriais que devem acontecer nos polos mais produtivos de cada uma.

Recentemente, o Estado de Rondônia recebeu a declaração da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de peste suína clássica (PSC). O comunicado ocorreu durante a 84ª Sessão-Geral, em Paris. “Esta é mais uma vitória do empenho da Agência de Defesa Agrosilvopastoril (Idaron), em parceria com a Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO) e a Seagri que permitirá a vinda de grandes frigoríficos de suínos para o estado”, comemorou Padovani.

Ele aproveitou a ocasião para reafirmar empenho na prevenção e combate ao trabalho infantil na cadeia produtiva de Rondônia, campanha encabeçada pela Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas). “Toda criança tem o direito de brincar, estudar, ter um lar e ter segurança familiar e do estado”, ponderou.


Fonte
Texto: Marco Aurélio Anconi
Fotos: Marco Aurélio Anconi
Secom – Governo de Rondônia