unirA Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) promoverá no próximo dia 2 de dezembro de 2016, das 8h às 18h, no auditório da UNIR-Centro, em Porto Velho, o seminário Consumo Castanha-da-Amazônia no Brasil e na Europa. O objetivo do seminário é apresentar os resultados obtidos no Projeto Mudança da Rota da Castanha-da-Amazônia.

O evento é aberto a pesquisadores, acadêmicos e toda a comunidade em geral interessada na temática. As inscrições serão realizadas no local do evento.

O seminário é uma realização do Centro de Estudos Interdisciplinares em Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (CEDSA/UNIR) e do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Administração (PPGMAD), ambos da UNIR.

Programação

As palestras contam com a participação de pesquisadores da UNIR, da UFRGS e da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto – Portugal  (FCUP).

Entre os assuntos discutidos no seminário estão a cadeia extrativa da Castanha-da-Amazônia, a sustentabilidade de comunidades tradicionais extrativistas, o consumo da castanha no Brasil, a aceitação e comportamento do consumidor europeu, segurança alimentar, entre outros temas, além da apresentação de dissertações com pesquisas sobre o Projeto Mudança da Rota da Castanha-da-Amazônia, elaboradas no Brasil e na Europa.

A programação completa está disponível no folder do evento, em anexo.
Sobre o projeto

O projeto “Mudanças na Rota da Castanha-da-Amazônia no Arco Norte da Amazônia: organizando sustentavelmente as comunidades tradicionais baseadas no macromarketing” é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e desenvolvido em colaboração entre a UNIR, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Universidade do Porto-Portugal (UP). Abrange comunidades localizadas em seis estados da Região Amazônica Brasileira e outros sete estados no Brasil, dois países da Pan-Amazônia e dois países da Europa.
De acordo com os pesquisadores, as atividades realizadas de maneira conjunta entre as instituições e comunidade potencializaram as ações previstas no projeto e os resultados obtidos poderão colaborar com a organização sustentável das comunidades tradicionais extrativistas de Castanha-da-Amazônia.

A pesquisa nos países europeus consistiu em conhecer a percepção do consumidor em relação ao risco, perfil emocional e aceitação sensorial dos consumidores europeus sobre a Castanha-da-Amazônia.

Fonte: UNIR